• Agenda

    março 2020
    S T Q Q S S D
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    3031  
  • Categoria

  • Arquivo

  • Blog Aécio Neves

Governo Pimentel vai reduzir número de professores

Helvécio Magalhães disse que houve redução de alunos matriculados no ensino fundamental e alegou que pagamento da folha salarial é muito alto.

Sind-UTE contesta dados do Governo de Minas e afirma que não há profissionais ociosos nas escolas e o número de matrículas caiu nos últimos anos porque o Estado reduziu o número de vagas.

Fonte: O Tempo

Governo Pimentel quer sucatear a Educação e reduzir número de professores

Minas pode reduzir número de professores na rede estadual

Segundo o secretário, o número de alunos matriculados caiu e o de educadores aumentou

O governo de Minas estuda reduzir o número de professores na rede estadual. O corte de vagas, segundo o secretário de Planejamento e Gestão, Helvécio Magalhães, seria justificado pelo fato de que, nos últimos 12 anos, as matrículas de alunos caíram, e a contratação de professores aumentou.

Levantamento da Secretaria de Estado de Educação mostra que de 2002 para 2014, o número de matrículas nos ensinos fundamental, médio e EJA (educação para jovens e adultos) foi reduzido em 17%, passando de 2,5 milhões para 2,1 milhões. De outro lado, segundo a Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag), o total de professores ativos no período aumentou 23%, indo de 152 mil para 189 mil.

A redução pode ser feita durante o processo de transição que os profissionais da educação terão que passar em função da inconstitucionalidade da Lei Complementar 100, de 2007. Cerca de 59 mil servidores ativos – incluindo professores e outros funcionários da área – terão que se desligar do Estado. Eles serão substituídos por concursados. O restante dos atingidos já se aposentou.

O prazo para que isso aconteça será definido pelo Supremo Tribunal Federal, que analisa o pedido do governo para que os designados permaneçam nos postos até dezembro. A decisão inicial era que todos fossem demitidos em 1º de abril.

“É possível (reduzir o número de vagas de professores) porque tem um dado que nos alerta. Há uma redução no número de crianças nas escolas do ensino fundamental. No ensino fundamental não tem crescido a rede porque não têm crianças nessa idade, tem crescimento necessário no ensino médio. Diminuiu o número de crianças, mas não diminuiu o número de professores”, afirmou em entrevista exclusiva a O TEMPO.

Para o governo, a extensa folha de pagamento é um problema. Os profissionais da educação respondem por quase 50% dela.

Segundo Magalhães, houve um descontrole na contratação dos designados. “Foram efetivados milhares na Lei 100. Três anos depois, já havia o mesmo tanto de designados. Algo aconteceu. Não tem nenhum controle sobre a folha de designados. Não tem sequer um sistema que gere milhares de funcionários. Não estou fazendo juízo de valor sobre fraudes. Vamos investigar. Imediatamente, estamos contratando um sistema para gerir a folha de designados”, afirmou.

No STF

Lei 100. A modulação dos efeitos da Lei 100, que estava para ser discutida nesta semana no Supremo Tribunal Federal (STF), acabou retirada da pauta da Corte. Não há prazo para sua análise.

SIND-UTE

Categoria diz que faltam profissionais

A coordenadora do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE), Beatriz Cerqueira, criticou a proposta estudada pelo governo de Minas de reduzir o número de vagas de professores. Segundo ela, não há profissionais ociosos nas escolas e o número de matrículas caiu nos últimos anos porque o Estado reduziu o número de vagas.

“Vivemos o contrário do que o secretário diz. Temos um número menor de trabalhadores que assume mais demandas nas escolas, uma política do governo anterior. O Estado não ampliou vagas do ensino médio. Estão diminuindo a oferta. Faltam cerca de 900 mil vagas no ensino médio em Minas”, afirma Beatriz. Segundo ela, em 2012, o déficit de professores era de 5.000 profissionais. “Se o número não é o mesmo hoje, aumentou”.

Para o vice-presidente da Associação dos Diretores de Escolas Oficiais de Minas (Adeomg), Washington Oliveira, este é o momento de “estudar políticas públicas para atrair os jovens para a escola”.

Segundo levantamento do governo sobre as gestões anteriores, 14% dos jovens entre 15 e 17 anos estão fora da escola. Em nota, a Secretaria de Educação informou que “trabalha, de forma prioritária, para construir um ensino médio atrativo para o jovem”.

Pimenta vai combater os gargalos deixados pelo governo petista em Minas

Pimenta da Veiga: “Temos de apoiar fortemente a atividade empresarial, que é geradora de emprego e renda”.

Eleições 2014

Fonte: Pimenta 45

Pimenta: falta de apoio federal afetou atividade econômica e segurança no interior de Minas

Atração de empresas e impulso ao desenvolvimento serão marcas do candidato, que aposta ainda em mais obras, saúde e mais policiamento

O candidato a governador pela Coligação Todos por MinasPimenta da Veiga, afirmou, nesta quinta-feira (18/09), que irá combater os gargalos que a má administração petista no governo federal deixou no Estado. Durante visita às cidades de Ubá e Manhuaçu, na Zona da Mata, e Caratinga, no Rio Doce, Pimenta criticou a falta de atuação federal, nos últimos 12 anos, em diversas questões, como o desenvolvimento econômicoinfraestrutura e a segurança pública em Minas.

“Temos de apoiar fortemente a atividade empresarial, que é geradora de emprego e renda. Ubá é um exemplo: tem um polo moveleiro expressivo, teve já um polo de confecções, que também teve muita força. Então, não vamos deixar que aconteça com o polo moveleiro o que aconteceu com o polo de confecções, porque o governo do PT, com o ministro de Desenvolvimento do PT, que é candidato ao Governo de Minas, não soube apoiar”, ressaltou.

Enquanto ministro do governo federal, o candidato do PT ao Governo de Minas impediu a instalação de grandes empresas em Minas, como a Fiat, que foi levada a Pernambuco por incentivo dos petistas e deixou de gerar mais de 5 mil empregos para os mineiros. Da mesma forma, o Estado perdeu outro grande investimento, o polo acrílico de Ibirité. Milhares de outros postos de trabalho deixaram de ser gerados na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Junto a apoiadores de sua candidatura, em Manhuaçu, o candidato também condenou o descaso do governo do PT para com as fronteiras brasileiras, que permite a entrada de drogas e armas no país, fator que mais gera violência no Brasil. “A questão da criminalidade está muito séria. O país não produz drogas, no entanto, aqui dentro circula muita droga, porque o governo do PT não toma conta das fronteiras”, alertou.

A grave situação econômica pela qual passa o país neste momento foi também destacada pelo candidato a senador Antonio Anastasia, que esteve ao lado de Pimenta da Veiga durante o corpo a corpo com os moradores. O ex-governador de Minas citou a volta alarmante da inflação e o crescimento pífio do país, consequências das políticas econômicas do governo federal.

“Lamentavelmente, o Brasil hoje vive uma crise decorrente de má política econômica do governo federal, e não adianta culpar a crise internacional, porque países vizinhos ao Brasil estão com índices maiores de crescimento. Estamos com um quadro difícil, inflação voltando, passando das metas, indo além do limite, do teto, e um crescimento baixo. Então, é um quadro grave, que o governo federal do PT não está sabendo combater”, disse.

Propostas

Em Ubá, Pimenta da Veiga garantiu conceder insumos para fortalecer a atividade empresarial, geradora de emprego e de renda na região, como o apoio ao crédito, em matéria tributária e no campo político. “Além disso, queremos tratar com absoluta prioridade do contorno da cidade, de modo a dar vazão ao grande trânsito de caminhões e de veículos. Na saúde, vamos criar aqui um Núcleo de Combate ao Câncer, antiga reivindicação da cidade”.

Na caminhada por Manhuaçu, que mobilizou políticos, moradores e lideranças comunitárias, a população também comemorou o anúncio de obras para o contorno viário da cidade e ainda a construção de um hospital que atenda a população de municípios vizinhos. Ações para segurança não ficaram de fora da pauta: “aqui em Minas, vamos aumentar o policiamento ostensivo, para deixar claro que não convivemos com a bandidagem”, declarou.

Pimenta da Veiga reforçou em Caratinga, onde participou com Anastasia de caminhada pela cidade, seu ousado plano para melhorar a educação pública no Estado, que já é considerada a melhor do país no ensino fundamental. Além de aprofundar o ensino profissionalizante, o candidato a governador quer levar a todas as regiões mineiras a escola de tempo integral.

“Este é um projeto do qual tenho grande carinho, porque a criança mais tempo na escola quer dizer duas coisas: primeiro, os pais mais tranquilos, porque sabem que os filhos estão na escola. Depois, as crianças aprendem mais, podem ter um currículo maior e podem ter uma parte dedicada ao esporte, à cultura, de maneira que são atividades muito intensas e muito importantes”, declarou Pimenta da Veiga.

PT despreza Minas e não repassa recursos para a segurança

Minas figura entre os estados que menos receberam recursos per capita para a área de segurança pública em todo o Brasil nos últimos três anos.

Gestão Deficiente do PT

Fonte: Estado de Minas

Governo do PT despreza MG no repasse da segurança 

Sem título

Muito ao contrário do que alardeia o candidato petista ao Governo do Estado, a segurança pública de Minas Gerais foi desprezada pelo governo federal do PT. Em uma amostra de claro descaso com o povo mineiro, Minas Gerais figura entre os estados que menos receberam recursos per capita para a área de segurança pública em todo o Brasil nos últimos três anos. Segundo revela reportagem publicada nesta sexta-feira (12/09) pelo jornal “Estado de Minas”, entre 2011 e 2014, foram repassados ao setor de segurança pelo governo de Dilma Rousseff apenas R$ 2,18 para cada habitante do Estado, investimento considerado pífio por especialistas do setor.

Este repasse praticamente irrisório coloca Minas atrás de 24 estados da Federação e do Distrito Federal. O valor total repassado a Minas por meio de convênios com o governo federal foi de R$ 42,7 milhões, para uma população de 19,5 milhões, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Ainda conforme informa a reportagem, os montantes são transferidos para os estados por meio de contratos firmados junto ao Ministério da Justiça e o Departamento Penitenciário Nacional (Depen). Os recursos são utilizados pelos governos estaduais para reforçar as estruturas dos órgãos de segurança pública, por meio da aquisição de equipamentos e treinamentos de policiais.

Os repasses para a segurança pública demonstram que, além de ter virado as costas para Minas, o governo do PT destina maiores parcelas de recursos para estados governados por seus aliados. Os estados que mais receberam investimentos para o setor foram o Acre e Rondônia, que têm no comando, respectivamente, governadores do PT e do PMDB. Na parte de baixo do ranking está, além de Minas, o Estado de São Paulo, que é governado por Geraldo Alckmin (PSDB). Apesar de possuir população de mais de 41 milhões de pessoas, São Paulo recebeu no período apenas R$ 0,75 por habitante, figurando na última posição no ranking de repasses do governo Dilma.

O fato de Minas Gerais figurar na antepenúltima posição dentre os estados beneficiados se deve a obstáculos impostos pelo próprio governo do PT. Ao jornal, o secretário de Estado de Defesa SocialMarco Antônio Romanelli, afirmou que as burocracias impostas pelo governo federal dificultam a liberação dos recursos. “Há uma lista de projetos que foram encaminhados ao governo federal e que não foram analisados ou aprovados. Eles somam mais de R$ 32 milhões e estão relacionados à construção de unidades socioeducativas, capacitação de policiais, combate às drogas e estruturação de unidades integradas das polícias”, informou Romanelli, segundo o Estado de Minas.

Prioridade para Minas

“É lamentável que o PT faça distinções partidárias até em uma área tão importante. Esta é a postura desses que querem governar Minas Gerais. Ao beneficiar seus aliados, o PT vira as costas para o cidadão mineiro. O Governo de Minas, ao contrário, entende que, muito mais do que uma atribuição constitucional dos estados, a segurança pública é um setor que exige muitos investimentos. Por isso, nós vamos fortalecer ainda mais a estrutura das forças deDefesa Social e ampliar as ações de policiamento ostensivo nas ruas das cidades mineiras”, disse o candidato a governador pela Coligação Todos por MinasPimenta da Veiga, ao reafirmar seus compromissos para o setor.

Apesar do menosprezo do governo do PT com relação ao Estado, os governos do PSDB em Minas não apenas cumpriram seu papel constitucional com relação ao setor, como, ainda, lideraram o ranking nacional de investimentos em combate à criminalidade. Minas é o Estado que mais investe em segurança no Brasil, proporcionalmente ao orçamento, de acordo com dados do 7º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Além disso, Minas possui a melhor gestão de segurança pública do país, segundo levantamento de Governança de Segurança Pública, divulgado no último mês de abril pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

Aeroporto da Zona da Mata será entregue para PPP

Parceria público-privada prevê uma empresa para gerir a unidade com o foco principal voltado para o transporte de cargas.

Parceria público-privada

Fonte: Estado de Minas

Privatização para alavancar Goianá

Pedro Rocha Franco

O Aeroporto Regional Itamar Franco, em Goianá (Zona da Mata), será concedido à iniciativa privada nos próximos 30 anos, segundo edital publicado ontem pela Secretaria Estadual de Transportes e Obras Públicas. A parceria público-privada prevê que uma empresa seja contratada para administrar e operar a unidade com o foco principal voltado para o transporte de cargas, permitindo assim que o aeroporto finalmente decole. As propostas podem ser enviadas até 21 de outubro.

Até o terceiro ano de contrato, a empresa terá que elaborar os estudos de engenharia de 13 ações obrigatórias. A lista inclui a ampliação da pista de pousos em 500 metros, recapeamento da pista e do pátio de aeronaves, implantação de um terminal de cargas com 8 mil metros quadrados e revitalização da rodovia MG-353, que dá acesso ao aeroporto, além da aquisição de equipamentos usados no transporte de cargas, como câmaras frigoríficas, balança rodoviária e trator agrícola. Caso até lá haja demanda para as obras, a empresa será acionada para executá-las. “Hoje o aeroporto tem uma estrutura adequada. Está apto a receber voos de carga”, afirma o subsecretário de Regulação de Transportes do governo estadual, Diego Vettori.

O edital prevê escolha da empresa por meio da oferta do menor preço em relação à contribuição do estado. O teto em 30 anos é de R$ 146,8 milhões. A concorrente precisará também comprovar experiência da operação do terminal de cargas e de passageiros.

política tarifária está diretamente vinculada à arrecadação. O edital estabelece 11 faixas de divisão dos valores captados. A primeira, que considera arrecadação anual de até R$ 500 mil, define que o valor será repassado integralmente aos cofres públicos. Caso a soma supere R$ 13,5 milhões por ano, a empresa fica com 90% e repassa o restante ao governo estadual.

A proposta é permitir que o aeroporto da Zona da Mata seja um eixo de um polo logístico da região, devido à proximidade com o Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Inaugurado em 2011, depois de obras do governo estadual orçadas em R$ 92,7 milhões, o aeroporto nunca obteve o sucesso esperado, inclusive tendo ficado um período sem voos regulares. Atualmente, o aeroporto é administrado pela empresa Multiterminais Alfandegados Ltda. A Azul opera com voos diários, para Campinas (SP) e Belo Horizonte. “A expectativa é assinar com um parceiro com experiência em operação de logística, que é a vocação do aeroporto”, diz o subsecretário.

Ensino estadual de Minas em 1º lugar no Ideb

Rede estadual se consolidou em 1º lugar no ranking nacional, tanto nos anos iniciais (1º ao 5º ano) quanto nos finais (6º ao 9º ano).

Minas tem Educação de qualidade

Fonte: Estado de Minas

Excelência no ensino

Escolas estaduais de Minas, uma delas pela terceira vez consecutiva, estão em primeiro lugar no Ideb. Resultados vêm de ideias simples, que levam o aluno a gostar das aulas e de aprender.

Valquiria Lopes e Gustavo Werneck

Direção e professores da Escola Estadual Duque de Caxias, no Bairro Santa Helena, na Região do Barreiro, conjugam diariamente quatro verbos que garantem o bom desempenho dos alunos: planejar, monitorar, avaliar e corrigir. Foi com esse direcionamento que a escola alcançou, pela terceira vez consecutiva, o primeiro lugar no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) nos anos iniciais (1º ao 5º ano), em Belo Horizonte. Obteve 7,9, nota superior aos 7,7 de 2011 e aos 7,5 conquistados em 2009.

A nota divulgada pelo Ministério da Educação (MEC), com base em dados do ano passado, está acima da média na rede estadual de Minas, que foi de 6,2 para essa faixa de ensino, e é ainda superior ao Ideb da rede particular, 7,6. Mas qual é a fórmula do sucesso da Duque de Caxias e de outras instituições mineiras que ocupam lugar de destaque no levantamento? A diretora Maria Eliza Mendes de Almeida Resende, há 14 anos no cargo, garante: “Não há segredo, apenas defendemos o direito de o estudante aprender, o que é dever da escola”.

O dia de ontem foi de muitas atividades e também de alegria para educadores, funcionários e estudantes da unidade. Na sala dos professores, havia o recado sobre o resultado de Ideb. “Estamos realmente muito felizes, pois o nosso objetivo é fazer o aluno aprender. Esse é o princípio básico e trabalhamos com vários projetos. Se há algum problema, o resolvemos com intervenções pedagógicas na hora certa. Todos os projetos obedecem a um diagnóstico contínuo, dentro de um planejamento bem feito e avaliação permanente. Temos uma filosofia de trabalho bem definida”, diz a diretora.

Logo na entrada da escola está a frase do educador Paulo Freire: “Só desperta paixão de aprender quem tem paixão de ensinar”. Maria Eliza se orgulha de levar adiante o lema e explica que a espinha dorsal da escola está no projeto de leitura para os 560 alunos na faixa etária de 6 a 10 anos. “Articulamos as diversas disciplinas com projetos de leitura. O estudante precisa gostar de ler para entender e interpretar.” Maria Eliza destacando ainda a participação das famílias dos alunos.

Na aula da professora Marise de Oliveira Rodrigues, meninos e meninas estudam a história da Branca de Neve, enquanto aprendem a ler as horas. O jeito bem criativo de ensinar está numa maçã e num relógio. “É preciso haver encantamento e as aulas precisam ser atrativas”, diz Maria Eliza. Ingrid Mel Silva, de 8 anos, conta que gosta muito de ler e tem entre suas histórias preferidas A pequena sereia. Também na primeira fila, Denis Lopes de Carvalho faz coro às palavras da colega e, como toda criança, avisa que adora a hora do recreio.

Em BH, outra escola estadual alcançou o primeiro lugar do Ideb pela atuação nos anos finais (6º ao 9º ano). Com nota 6,2, a Escola Estadual Pedro II, no Bairro Santa Efigênia, superou a média da rede de educação mineira (4,7) e se manteve acima da média das unidades estaduais no Brasil, que tiveram nota 4. Para o diretor Tiago Dias, o sucesso é resultado de uma soma de ações. “Trabalhamos com o aluno de forma personalizada. Desse modo, ele recebe atenção especializada e é atendido, pontualmente, naquele conteúdo em que apresenta deficiência. Temos um forte trabalho de intervenção pedagógica”, afirma.

Como a Pedro II funciona em tempo integral, os estudantes têm atividades complementares no contraturno escolar, como música, artes cênicas, aulas de espanhol, educação patrimonial e reforço, que, segundo o diretor, fazem diferença no aprendizado. Todas essas iniciativas, de acordo com Tiago, superam uma grande dificuldade da instituição, que é o caráter heterogêneo das turmas. “Por estar localizada na Região Central, a Pedro II recebe alunos de todas as classes sociais, das mais diversas regiões da cidade e também de municípios vizinhos. Ainda assim, conseguimos alcançar um equilíbrio.”

No interior, duas escolas estaduais tiveram nota ainda maior do que as unidades de BH. A Professor Modesto, em Patos de Minas (Alto Paranaíba), e Antero Magalhães e Aguiar, em Santa Rosa do Serro, estão empatadas com 8,2. “A educação em tempo integral faz toda a diferença. Fora do horário normal das aulas, todos os funcionários se envolvem naqueles pontos em que os alunos têm maior dificuldade”, diz o diretor da Antero Magalhães e Aguiar, Walisson de Souza. A unidade funciona desde 2007 em um prédio antigo, sem sala de informática e quadra de esportes. “Estamos felizes. A pontuação mostra que o trabalho dá bom resultado mesmo sem a melhor infraestrutura.”

CAMPEÃO As notas do Ideb 2013 mostram que Minas vai bem no ensino fundamental. Com os resultados, a rede estadual se consolidou em primeiro lugar no ranking nacional, tanto nos anos iniciais (1º ao 5º ano) quanto nos finais (6º ao 9º ano). Para as primeiras séries, esta é a terceira vez que o estado se destaca como campeão no país. Já o ensino médio ainda é o grande desafio. Entre as 27 unidades da federação, 23 não atingiram a meta estabelecida pelo MEC. Com o índice de 3,6, Minas ficou 0,4 ponto abaixo da meta de 4 pontos determinada pelo órgão e, na média nacional, o índice de 3,4 do Brasil se manteve igual ao de 2011, também inferior ao previsto para 2013, que era de 3,6.

Como é feita a Avaliação

Feito a cada dois anos, o Ideb é um instrumento usado pelo Ministério da Educação desde 2005 para medir a qualidade do ensino no Brasil. O índice é calculado a partir da combinação do desempenho dos alunos no Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) e rendimento escolar (taxa de aprovação). O fator desempenho é medido com base nas notas dos alunos na Prova Brasil, nas disciplinas língua portuguesa e matemática, aplicadas para todos os alunos do ensino fundamental no país. No ensino médio, a análise é feita por amostragem estatística. Em 2013, 75 mil estudantes foram avaliados nas provas do Saeb, nas redes pública e privada do país. Já os dados que indicam as taxas de aprovação são obtidos por meio do Censo Escolar.

Visita de Aécio e arrancada de Pimenta traz entusiamo aos eleitores mineiros

Visita de Aécio à BH e arrancada de Pimenta nas pesquisas, encheu de ânimo tanto as lideranças políticas quanto os eleitores.

Coligação Todos por Minas

Fonte: Minas em Pauta

Minas unida garantirá eleição de Aécio, Pimenta e Anastasia

Prefeitos e lideranças de Minas Gerais demonstram entusiasmo e confiança na vitória dos candidatos durante encontro realizado em BH.

O entusiasmo marcou o início da nova fase das campanhas de Aécio, Pimenta e Anastasia em Minas Gerais. A visita de Aécio Neves à capital Belo Horizonte, nesta terça-feira (04/09), justamente no momento de arrancada de Pimenta da Veiga nas pesquisas eleitorais, encheu de ânimo tanto as lideranças políticas quanto os eleitores.

O coordenador das campanhas, Danilo de Castro, afirmou que a reunião de tantos apoiadores, ao todo foram 1.500 pessoas entre prefeitos, ex-prefeitos, vereadores e militantes, mostrou claramente a força de Aécio, Pimenta, Dinis e Anastasia no Estado. Ele garantiu que as candidaturas estão em curva ascendente.

“A virada já começou. As pesquisas de hoje já indicam o crescimento do Pimenta e uma queda do nosso adversário. Tenho certeza que essa arrancada de hoje será a arrancada da vitória. Minas está unida no projeto estadual e no projeto federal”, disse.

Para o presidente do PSDB-MG, deputado federal Marcus Pestana, que os eleitores reconhecerão que os projetos de Aécio, Pimenta e Anastasia são o melhor para Minas e para o Brasil.

“Esse evento é a grande arrancada da virada. Minas vai dar um grito de guerra a favor de uma grande mudança no Brasil e no Estado”, afirmou.

Minas quer Aécio na Presidência

O prefeito de Mário Campos, Elson da Silva Santos Júnior (PSB), afirmou que a campanha tomará outro rumo.

“As pessoas vão perceber que Aécio é a verdadeira transformação. O Brasil está clamando por essa mudança, mas mudança consolidada, não uma mudança amadora. Aécio tem toda essa condição, bagagem, experiência e o apoio político necessário para essa realização”, disse.

O prefeito mais jovem do Estado, Pinheirinho (PP), de Ibirité, afirmou que Aécio é a melhor opção para a juventude.

“Apoiar Aécio Neves é muito importante para que Brasil possa crescer nos trilhos certos. Tenho certeza que ele fará pelo Brasil o que ele fez por Minas. Ele vai apoiar apoiar toda nossa juventude e vai conduzir a mudança que o Brasil tanto precisa. E para dar continuidade ao seu trabalho em Minas, precisamos estar juntos com Pimenta da Veiga e Minas Gerais”, afirmou.

O prefeito de Montes Claros, Ruy Muniz (PRB), afirmou que o Norte de Minas está com Aécio, Anastasia e Pimenta pelos importantes avanços promovidos para melhorar a qualidade de vida da população da região.

“O Norte de Minas está com Aécio, Pimenta e Anastasia porque eles são o melhor para o Brasil e para Minas. Fizeram muito, são competentes, são preparados. Nós vamos votar e peço a todos os nossos amigos para votarem no 45 pra presidente, para governador e para senador”, disse.

Empolgação

Aécio, Pimenta, Dinis e Anastasia foram recebidos com grande empolgação por populares, apoiadores e lideranças. Animados, os jovens manifestaram a confiança na vitória com música e palavras de ordem: “Ô Aécio, hoje é nossa arrancada, Minas Gerais acredita na virada”. De acordo com o coordenador da juventude peessedebista, Michell Tuler, os jovens acreditam que de Minas vai sair a real mudança. “A verdadeira arrancada vai sair hoje daqui de Minas, com os nossos prefeitos, com as lideranças, com os segmentos e com a juventude”, disse.

A empolgação contagiou quem passava pelo local. A pedagoga Cristiana Murta disse que ficou emocionada por ter visto Aécio, que, para ela, é quem vai resolver os problemas do Brasil.

“Aécio vai ajudar todo mundo. A proposta dele é melhor para o Brasil, o Brasil tem que voltar a crescer. Sou professora há mais de 20 anos e está todo mundo revoltado com o que está acontecendo com o Brasil. A esperança da mudança é Aécio e temos certeza que ele vai chegar lá”, declarou.

A aposentada Marília Guerra, de Belo Horizonte, também manifestou a sua confiança. “Aécio vai consertar o Brasil, do jeito que está não dá. Tem que mudar, chega de PT. Tem dez anos que os aposentados não têm aumento. Estou muito otimista. Aécio vai ganhar, ele é mineiro e vai ganhar para a Presidência”, disse.

Aos 73 anos, a dona de casa Lucília Maria de Jesus, de Ibirité, manifestava toda a sua empolgação e disse estar certa que Aécio, Pimenta, Dinis e Anastasia serão vitoriosos. “Eles olham pela saúde, educação, pelas crianças e pelos idosos. Eles vão estar lá, no Governo e na Presidência, tenho fé em Nossa Senhora Aparecida. Eles trabalham com fé e sinceridade, olham pelo Estado e pelo país”, disse.

A dona de casa de Campestre, Elionay Brasil Silva Reis, saiu do Sul de Minas para prestigiar o encontro dos candidatos com os prefeitos e garantiu seu voto.

“Aécio Neves e Antonio Anastasia foram excelentes para Campestre, a cidade evoluiu muito, foram muitas obras por causa do apoio deles. Agora é Aécio, Anastasia e Pimenta para continuar a melhorar o nosso Estado e mudar mesmo a história do nosso país”.

Veja mais depoimentos:

Antônio Andrada, prefeito de Barbacena e presidente da Associação Mineira de Municípios (PSDB)

“Minas está nos chamando para a guerra e para a luta, a luta democrática, a luta da vitória. Minas nunca faltou ao Brasil nos momentos graves, não faltará agora. Aécio é a resposta de Minas. Pimenta, Anastasia e Dinis são o suporte para que essa resposta possa ser forte, firme e duradoura”.

Dinis Pinheiro, deputado estadual e candidato a vice de Pimenta da Veiga (PP) 

“Esse é o momento aqui hoje da arrancada, da virada, da vitória de Pimenta, de Anastasia e de Aécio. A vitória de Minas está no sonho de cada um de nós. O Brasil quer mudar, o Brasil deve mudar e o Brasil vai mudar com Aécio presidente do Brasil. Vale a pena acreditar. São milhões de brasileiros que dependem da nossa luta.”

Alberto Pinto Coelhogovernador de Minas Gerais (PP)

“Minas oferece a nação o seu filho mais ilustre, o candidato mais preparado e qualificado para dirigir o destino da nação brasileira, que é Aécio Neves. O povo não aguenta mais este pesadelo. A candidatura de Aécio conta com o apoio de todos que estão aqui. Os mineiros confiam e dependem de nós para a continuidade em Minas e o avanço no Brasil. A hora é agora, e iremos elegê-los.”

Rômulo Viegas, deputado estadual (PSDB)

“Minas e o Brasil tem que ter Aécio, Pimenta e Anastasia porque apenas eles têm eficiência em gestão. Hoje, estamos na direção certa, rumo a virada, traçando a vitória.”

Mario Heringer, deputado federal (PDT)

“Reafirmamos hoje que Minas está com Aécio, Pimenta e Anastasia. Eles três são mais preparados, têm mais compromisso com a sociedade e não são aventureiros na política”.

Luzia Ferreira, deputada estadual (PPS)

“Acreditamos na capacidade de transformação que vem acontecendo em Minas a partir do governo de Aécio que continuou com Anastasia e, agora, com Pimenta. Nossos candidatos já demonstraram em toda a sua vida pública que têm esse compromisso, e o PPS tem muito prazer de estar ao lado deles.”

José Silva – deputado federal (Solidariedade)

“Minas é modelo de gestão pública não apenas para o Brasil, mas para o mundo inteiro, a partir do que foi executado por Aécio e Anastasia e será feito por Pimenta. Queremos continuar com Minas desenvolvendo, construindo um Estado mais justo e igualitário. Em todas as regiões, vimos que a eficiência quando Aécio liderou esta grande transformação.”

Antônio Carlos Arantes, deputado estadual (PSDB)

“A campanha começa agora. A hora é esta. Estou muito otimista, o Pimenta vai ser governador e Aécio vai para o segundo turno. Somos a voz da oposição e o brasileiro está cansado do modelo que está ai. O modelo está vencido e com Aécio é a única forma de mudar.”

Bilac Pinto, deputado federal (PR)

“Aécio é um homem que tem autoridade moral, que conduziu Minas por dois governos e fez um trabalho extraordinário, melhorando inclusive os Índices de Desenvolvimento do Estado. Anastasia deu sequência a esse trabalho e, agora, vamos continuar com Pimenta da Veiga. Minas está unida em torno dessas candidaturas e vamos deixar esse legado para a famílias mineiras e brasileiras.”  

Evandro de Aguilar, prefeito de Rubim (PTN)

“Apoio Aécio, Pimenta e Anastasia pelo domínio, criatividade, competência. Eles têm muitas qualidades. Tenho muita vontade de ver Aécio na Presidência porque o país não aguenta mais quatro anos de PT. Minas precisa de Aécio na Presidência da República.”

Marcos Dupim, vice-prefeito de Curvelo (DEM)

“Não podemos abrir mão do trabalho que Aécio e Anastasia fizeram em Minas e, agora, o Pimenta da Veiga dará continuidade e Aécio fará o melhor para o Brasil.”

Jarbas Côrrea Filho, prefeito de Guaxupé (PSDB)

“Estamos com Aécio, Anastasia e, com certeza, com Pimenta da Veiga, por tudo aquilo que eles construíram no nosso Estado, na nossa região. Minas hoje é o que é no Brasil em termos de educação e saúde por todo planejamento que foi feito nesses 12 anos do governo de Aécio e Anastasia e com certeza Pimenta da Veiga dará continuidade.”

Carlos Melles, deputado federal (DEM)

“Minas está com Aécio, Anastasia e Pimenta porque temos o dever de gratidão, sentimento de solidariedade, de apoiar aqueles que melhoraram a vida dos mineiros. Ninguém fez uma Minas melhor do que o Aécio e Anastasia, e ninguém dará continuidade melhor do que Pimenta da Veiga. Hoje, com mais de 70% dos prefeitos, estamos no rumo certo para a vitória.”

Arlen Santiago, deputado estadual (PTB)

“Sou testemunha da grande transformação em Minas e do que aconteceu no Norte do Estado. Aécio irá fazer o mesmo pelo Brasil, somando-se à força de Anastasia e Pimenta.”

Anselmo José Domingos, deputado estadual (PTC)

“O dia de hoje sinaliza a mudança que queremos. Precisamos de pessoas comprometidas como Aécio, Pimenta e Anastasia que possam investir com responsabilidade nas obras emergenciais para o Estado, e Aécio é a nossa esperança.”

Gustavo Correa, deputado estadual (DEM)

“Nossos candidatos são a melhor escolha que Minas e o Brasil podem ter. Através do Aécio e Anastasia, Minas mudou e transformou a realidade dos municípios mineiros. Temos a certeza da vitória em Aécio para presidente para o Brasil avançar e Minas continuar crescendo.”

José Silva, deputado federal (PDT)

“Hoje é o dia da virada para Minas continuar crescendo e o país receber de braço abertos o melhor gestor de todos os tempos, Aécio Neves. Minas é modelo de gestão pública não apenas para o Brasil, mas para o mundo inteiro. Queremos construir um Brasil mais justo e igualitário”.

Lafayette Andrada, deputado estadual e líder do PSDB na ALMG

“Estamos com nossos candidatos que representam futuro, modernidade, competência, ética e eficiência. O que foi feito em Minas de 12 anos para cá não pode parar. É muito simples fazermos uma avaliação com as transformações que aconteceram em Minas e as transformações negativas que aconteceram no cenário nacional. Queremos e precisamos de Aécio, Anastasia e Pimenta para Minas e para o Brasil.”

Dalmo Ribeiro, deputado estadual (PSDB)

“Hoje é um momento importante, pois estamos recebendo o apoio de prefeitos de todas as regiões de Minas em sinal de gratidão, do reconhecimento por tudo que Aécio fez para o Estado com ética, responsabilidade e decência. Estamos reunidos para fazer de Aécio, Pimenta e Anastasia os nossos representantes.”

Ademir Lucas, ex-deputado estadual (PSDB)

“Aécio é exemplo de gestor e presenciamos o crescimento de Minas nos últimos anos. Aécio é o melhor para representar o povo brasileiro e será eleito presidente do Brasil”.

Rodrigo de Castro, deputado federal (PSDB)

“Os mineiros estão unidos e animados para eleger Aécio, Pimenta e Anastasia. Minas conhece Aécio e sabe da sua capacidade para mudar o Brasil. Estamos ao seu lado nesta caminhada, e hoje presenciamos inúmeros prefeitos, vice-prefeitos, vereadores e deputados presentes neste momento importante e necessário para a política brasileira. Mudança de verdade e com segurança é com Aécio.”

Eduardo Barbosa, deputado federal (PSDB)

“Hoje temos a oportunidade de eleger os melhores quadros políticos do Brasil. Aécio parapresidente da República. Sabemos o dinamismo e visão de futuro que ele tem. O Brasil precisa dele para este acerto e correção de rumos que nenhum outro candidato a presidente tem condição de oferecer. Em Minas Gerais, Pimenta da Veiga é o resgate.”   

Aécio: ‘O país não pode conviver com mais um ciclo de improvisos’

Em reunião com aliados em Belo Horizonte, Aécio Neves declarou que Minas será o início da grande arrancada para o segundo turno.

Coligação Todos por Minas

Fonte: Estado de Minas

Aécio faz convocação geral

Presidenciável do PSDB reúne 443 prefeitos e pede empenho na guerra pelo segundo turno

Leonardo Augusto e Juliana Cipriani

O candidato a presidente da República pelo PSDB, senador Aécio Neves, pediu ontem a aliados em Belo Horizonte empenho em sua campanha ao Palácio do Planalto de forma a levá-lo ao segundo turno da eleição. “É hora de cada um mostrar não apenas suas boas intenções, mas o que vai fazer para que o Brasil inicie um novo ciclo de desenvolvimento”, disse a uma plateia de 443 prefeitos – segundo informação do próprio Aécio – em um clube da Zona Sul da capital. O tucano pediu também reforço para a campanha do ex-ministro das Comunicações Pimenta da Veiga (PSDB) para o governo mineiro.

Segundo Aécio, a presidente Dilma Rousseff (PT do PSB ao Palácio do Planalto, têm a mesma origem. “Uma (Marina), com boas intenções, que eu respeito, mas que é do mesmo núcleo que vem governando o Brasil. Vem do PT”, disse. A candidata do PSB teve a legenda como o primeiro partido e foi ministra do Meio Ambiente no governo de Luiz Inácio Lula da Silva. Dilma era do PDT, mas migrou para o PT em 2001.

Aécio afirmou ser a melhor opção entre os candidatos. “O país não pode conviver com mais um ciclo de improvisos”, disse, ressaltando que os brasileiros estão pagando um preço alto pelo “aprendizado” da atual presidente no governo. “Isso tem levado o país a ter repiques inflacionários e ao pior crescimento entre todos os nossos vizinhos”, avaliou. No início do discurso aos aliados, Aécio, ao lado do governador Alberto Pinto Coelho (PP), de Pimenta da Veiga e do candidato tucano ao Senado por Minas, Antonio Augusto Anastasia, comparou eleição e apoio dos aliados. De acordo com o presidenciável, a disputa nas urnas é importante e pode-se perder ou ganhar. O apreço dos correligionários, na avaliação do candidato, no entanto, tem destaque especial.

Para Aécio, a reunião de ontem marcará o salto do PSDB, que está em terceiro lugar nas pesquisas de intenção de voto. “Estamos iniciando hoje aqui uma grande arrancada. Reunindo as principais alianças políticas do estado, da sociedade mineira, para a vitória de Pimenta da Veiga e Anastasia em Minas Gerais. E também para estarmos no segundo turno”, disse.Anastasia lidera as pesquisas de intenção de voto para o senador. “Venha para o Senado da República ser o meu parceiro na defesa por Minas”, disse Aécio, no discurso, ao aliado.

Na sequência, Aécio teve reunião com deputados federais e estaduais de sua base aliada e disse estar confiante de que fará “barba, cabelo e bigode”. O tucano sinalizou que o aumento das críticas aos petistas deve ser a tônica para as últimas semanas. “Onde o PT governa, está perdendo as eleições, e eu espero que Minas demonstre de forma muito clara que não temos como vocação ser amanhã um depósito de petistas derrotados em outras partes do Brasil”, afirmou.

Aécio criticou o candidato do PT ao governo de Minas, Fernando Pimentel, que, segundo ele, levou investimentos que poderiam ter ficado no estado para fora e agora aparece como construtor de um novo tempo para Minas. Ele acredita que Pimenta vá reverter a desvantagem para os petistas. “Não acredito que logo em Minas, consciência maior da nação brasileira, vamos ter um retrocesso como esse”. Aécio pediu uma vinculação maior das candidaturas do seu campo político ao projeto começado por ele em seu primeiro governo, que teve início em 2003, e foi sucedido por Antonio Anastasia, em 2010. Apesar de ter confirmado que veio ao estado “botar todo mundo para trabalhar”, o tucano negou que tenha havido “corpo mole” de seus cabos eleitorais.

Apoio de artistas

candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, lançou ontem um clip com a participação de vários artistas que apoiam sua campanha. O mote do jingle é o mesmo adotado pelo senador: o de que o Brasil precisa mudar, mas de maneira segura. “Um novo Brasil para a gente. Decente, maduro”, diz o refrão da música, cantada, entre outros, por Zezé di Camargo e sua filha Wanessa, Beto Guedes, Chitãozinho & Xororó, Renato Teixeira e Fernando Brant. O clipe tem 47 segundos e foi exibido ontem no programa do candidato no horário eleitoral gratuito na televisão.