• Agenda

    agosto 2019
    S T Q Q S S D
    « out    
     1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    262728293031  
  • Categoria

  • Arquivo

  • Blog Aécio Neves

  • Anúncios

Aloysio Nunes: Cconvergência entre Marina e Aécio pode ser feita com muita naturalidade

Aloysio Nunes: “Tanto nós como Marina, a Rede e o PSB, queremos encerrar essa fase da política brasileira e tocar para frente”, disse.

Eleições 2014

Fonte: Jogo do Poder

Aloysio Nunes: há convergências entre Aécio Neves e Marina Silva

senador Aloysio Nunes, vice na chapa de Aécio Neves à Presidência, afirmou, nessa quinta-feira (09/10), que seu partido irá buscar convergências com o programa de governo defendido por Marina Silva, candidata do PSB à Presidência da República. Segundo ele, o conteúdo programático do candidato pela Coligação Muda Brasil é próximo ao que defende Marina.

“De modo que essa convergência pode ser feita com muita naturalidade”, afirmou Aloysio Nunes. Ele frisou que, embora Aécio e Marina sejam de partidos diferentes, ambos defendem a alternância de poder. “Tanto nós como Marina, a Rede e o PSB, queremos encerrar essa fase da política brasileira e tocar para frente.”

Aloysio Nunes afirmou que Marina teve uma “campanha valorosa” à Presidência da República no primeiro turno e ressaltou sua força eleitoral. “Ela [Marina Silva] tem uma presença política forte no Brasil.”

Ele ressaltou que as candidaturas de Aécio e Marina se consolidaram no campo da oposição. “Temos o dever, agora no 2º turno, de viabilizarmos esse enorme desejo de mudança que existe no Brasil”.

PROS

Ao lado de Aloysio Nunes, o vice-presidente nacional do PROS, o senador Ataídes Oliveira (TO), anunciou nesta quinta-feira seu apoio à Coligação Muda Brasil. Durante o encontro, Ataídes afirmou que o Brasil está passando por um “momento de desmoralização política” e de “instabilidade econômica” e que Aécio é o candidato “mais preparado” para fazer a mudança que o país necessita.

“Precisamos fazer uma ruptura com o sistema político implantado por esse governo há mais de 13 anos. Não tenho dúvidas, conhecendo o presidente Aécio, que ele está preparado, junto com Aloysio Nunes, para fazer essa ruptura que nosso povo espera”, disse o senador.

Aloysio Nunes agradeceu, em nome de Aécio, o apoio, destacando que o Estado do Tocantins representa uma força política importante. “Com esse apoio do eleitorado de Tocantins queremos mudar o Brasil”.

Anúncios

Senador eleito pelo PSB, Romário vai apoiar Aécio no segundo turno

Romário deverá caminhar com Aécio na disputa presidencial. Os dois conversaram por telefone na última segunda e vão se encontrar no RJ.

Ex-craque explicou que seu apoio depende de três compromissos que o tucano deve incluir como prioridades em seu programa de governo.

Fonte: O Globo

Senador eleito faz duras críticas a seu partido, o PSB: ‘Minha relação é de ruim a péssima. Não me ajudam em nada’

Eleito senador pelo PSB com o recorde de 4,6 milhões de votos no Rio, Romário é o apoio mais cobiçado no estado neste segundo turno. Com má relação com seu partido, de quem reclama de ingratidão, ele vai tomar a decisão sobre quem apoiar para presidente e governador de forma independente. Em entrevista ao GLOBO, na tarde dessa quarta-feira, no mesmo momento em que acontecia a reunião da Executiva Nacional do PSB — “não fui convidado” —, o senador eleito praticamente descartou qualquer chance de apoiar a reeleição de Dilma Rousseff (PT).

Romário deverá caminhar com Aécio Neves (PSDB) na disputa presidencial. Os dois conversaram por telefone na última segunda-feira e vão se encontrar pessoalmente no Rio ainda nesta semana. O ex-craque explicou que seu apoio depende de três compromissos que o tucano deve incluir como prioridades em seu programa de governo. Como AécioNeves deve aceitar as condições do senador eleito, a formalização do apoio é questão de tempo.

— A Dilma, em princípio, eu diria 99,99% (de chances de não apoiar), é quase impossível. OAécio na segunda-feira me ligou, marcamos de conversar pessoalmente no Rio. Minha conversa com qualquer candidato vai estar direcionada a pontos que considero fundamentais — disse Romário, enumerando as propostas que levará ao tucano. — O país precisa de centros de diagnóstico e tratamento para pessoas com deficiências e com doenças raras. Isso tem que ter um olhar diferenciado. Outra coisa que vai pesar na minha decisão é em relação a crianças e jovens viciados em crack, dar atenção a isso. E o esporte também, principalmente para as crianças. Estas três áreas vão pesar na minha decisão, são bandeiras minhas. Se ele (Aécio) entender tudo isso, é bem possível (o apoio). Mas ainda vamos conversar.

‘(O PSB) NÃO ME AJUDA EM NADA. O PARTIDO NÃO É GRATO’

Romário não ocupa nenhum cargo nas instâncias partidárias do PSB. Ele manteve uma postura independente do partido tanto no mandato como deputado federal quanto na suacampanha a senador. A seu estilo, sem meias palavras, ele revela irritação e decepção com o partido e diz que tomará sua posição na disputa para presidente e para governador do Rio independentemente do partido. A Executiva Nacional do PSB está reunida na tarde dessa quarta-feira para decidir sobre o segundo turno presidencial.

— Meu grupo político é reduzido, minha relação com o partido é de ruim para péssima. Fui eleito senador com quase 4 milhões e 700 mil votos,e não faço parte da Executiva nacional, nem estadual, nem municipal. Não fui agora na reunião da Executiva porque não fui convidado. Eu ajudei muito, gravei para vários candidatos, e fico com o sentimento que o partido não é grato ao que faço, politicamente falando. Eles nunca me ajudam em nada, vou à luta sozinho — afirmou Romário, descartando, porém, deixar o PSB, já que tem liberdade de atuação. — Não tenho pretensão de sair. Há coisas boas, como a liderança na Câmara, há pessoas maravilhosas também. Vou continuar meu trabalho.

SEM DECLARAR APOIO, ELOGIOS A PEZÃO E CRÍTICA A CABRAL

Entre políticos fluminense, é dado como muito possível o apoio de Romário ao governador e candidato à reeleição Luiz Fernando Pezão (PMDB). O senador eleito pelo PSB conta que recebeu ligações tanto de Pezão como de Marcelo Crivella (PRB). No ano passado, quando chegou a sair do PSB, mas logo depois voltou atrás, Romário esteve perto de se filiar ao PRB de Crivella. O ex-craque faz críticas ao ex-governador Sérgio Cabral (PMDB), mas poupaPezão. Romário ainda vai definir quem apoiará e não descarta até ficar neutro.

— Minha relação com os dois é bem tranquila, saudável. Sempre fui contra a forma como oCabral estava governando, mas o Pezão é um cara bastante objetivo, tem feito bom governo, mesmo em pouco tempo. A decisão que eu tomar vai ser em benefício do povo. Fui procurado pelos dois, e não descarto ficar neutro.

Ele explicou como se dará sua decisão:

— Fui procurado pelos dois, pessoas em comuns fizeram contato. Minha forma de fazerpolítica é diferente: não vou conversar com os dois. Vou falar com um, levar os mesmo pontos que falei sobre o Aécio. Se topar, aceitar o que eu defendo, não vou no outro.

Perguntado se Pezão seria o primeiro com quem conversaria, deixou no ar:

— Não sei, não…

Em evento realizado pelo PT para apoiar o candidato Luiz Fernando Pezão à reeleição, o atual governador reiterou ter uma boa relação com o senador eleito:

— Já conversei duas vezes com o Romário, mas ele tem o partido por trás dele. Ele está ouvindo os companheiros dele, mas a gente tem um grande relacionamento, uma grande amizade.

Conversa com os Mineiros: Aécio fortalece o diálogo

Conversa com os Mineiros: Aécio disse que vai conversar em todo país para apresentar aos brasileiros conjunto de ideias e propostas.

Conversa com os Mineiros: Aécio Presidente 2014

Fonte: Jogo do Poder

Aécio Neves abre encontro Conversa com Mineiros

“Estou extremamente otimista de que vamos ter, em Minas, mais quatro anos de governo sério e honrado. É bom para Minas, mas também estou seguro que, no plano nacional, o sentimento é de mudanças”, afirmou Aécio.

presidente do PSDBsenador Aécio Neves, deu início nesta segunda-feira (28/10), em Uberlândia (MG), aos encontros “Conversa com os Mineiros”, organizados pelo PSDB e dez partidos aliados no estado. Mais de 1.000 pessoas, 120 prefeitos, 45 deputados e 200 vereadores participaram do encontro. Aécio Neves falou sobre a importância de Minas Gerais estar unida em defesa dos avanços conquistados e em favor de uma nova agenda de mudanças para o Brasil.

Recebido por prefeitos, vereadores, filiados e apoiadores de toda região do Triângulo MineiroAécio Neves disse que vai conversar em todo país para apresentar aos brasileiros um conjunto de ideias e propostas para o futuro do país.

“Já estivemos no Nordeste há menos de dois meses atrás. Fizemos um grande encontro da região Sul do país, em Curitiba (PR), voltarei ao Rio Grande do Sul na semana que vem e vou depois à região Norte e ao Centro-Oeste. A partir daí estaremos prontos, acredito que na primeira quinzena de dezembro, para lançar não um programa de governo, mas as linhas gerais daquilo que vamos chamar de agenda para o futuro”, afirmou Aécio.

Recebido pela presidente da Cooperativa de Catadores de Papel de Itaúna (MG), Madalena Duarte, o senador disse que a agenda do PSDB reunirá propostas para superação dos problemas que há mais de dez anos ainda permanecem sem solução pelo governo federal. Entre eles, o analfabetismo e as dificuldades das escolas públicas, o mau atendimento na área da saúde e a falta de oportunidades para os jovens.

“As principais ações e propostas serão aquelas que, na nossa visão, vão dar rapidamente condições para que o Brasil volte a crescer de forma digna para todos os brasileiros. Vamos mostrar muito o que fizemos em Minas Gerais, estado que tem hoje a melhor educação fundamental do Brasil e o melhor atendimento de saúde do Sudeste. São conquistas de governos sérios, que sabem trabalhar. E é disso que o país precisa”, disse Aécio Neves, aplaudido.

Minas unida

O governador Antonio Anastasia e seu vice, Alberto Pinto Coelho, o presidente do PSDB-MGdeputado federal Marcus Pestana, o presidente do ITV- MGPimenta da Veiga e as principais lideranças tucanas em Minas foram recebidos com entusiasmo em Uberlândia.

Por meio do Conversa com os Mineiros, a população poderá debater ideias e conhecer propostas do senador Aécio, do governador Anastasia, prefeitos e lideranças do Estado.

“Reunimos aqui as lideranças políticas dos partidos que, desde 2002, vêm dando sustentação a esse projeto transformador que hoje é conduzido em Minas, com extrema eficiência, pelo governador Anastasia. Está na hora, sim, de começarmos a definir nossas bandeiras, conversarmos com as várias regiões do Estado. Estou extremamente otimista de que vamos ter, em Minas Gerais, mais quatro anos de governo sério, de governo honrado. É bom para Minas, mas também estou seguro que, no plano nacional o sentimento é de mudanças”, afirmou Aécio em seu discurso.

Aécio faz oposição construtiva e diz que MP 579 vai gerar desemprego

Aécio Neves oposição: “Dilma deve seguir exemplos das administrações do PSDB”, disse em entrevista à Rede TV!

Aécio Neves: Oposição

Fonte: Queremos Aécio Neves Presidente

O senador Aécio NevesPSDB – disse que o governo da presidente Dilma deve seguir os exemplos dos governos estaduais administrados pelo PSDB.


O senador Aécio NevesPSDB – disse em entrevista ao programa da Rede TV, “É Notícia”, com Kennedy Alencar, que o governo da presidente Dilma deve seguir os exemplos dos governos estaduais administrados pelo PSDB, que proporcionam a isenção do ICMS na conta de luz às famílias de baixo consumo e renda. Para Aécio Neves, basta a presidente retirar alguns dos mais de 10 tributos que estão embutidos na conta de luz, como o PIS/COFINS.

O senador Aécio Neves voltou a reafirmar que “a presidente da república está na obrigação de manter o desconto de 20% nas contas de luz, sob o risco de ser acusada de estelionato.” Para Aécio, a proposta da presidente Dilma foi eleitoreira, feita às vésperas das eleições municipais, e também autoritária, pois não ouviu especialistas, empresas do setor, congresso e sociedade civil. O senador ainda citou como um dos especialistas contrário à medida, o ex-presidente da Eletrobrás no governo Lula, Luiz Pinguelli Rosa, que a proposta do governo, além de não reduzir os preços, irá inviabilizar novos investimentos nas empresas de energia, gerando desemprego e produzindo apagões no Brasil.

A entrevista do senador Aécio Neves à Rede TV! ainda tratou de outros importantes temas, como a candidatura do senador à presidência da república. Sobre 2014, Aécio Neves disse que o principal movimento do PSDB para as eleições é se recolocar como uma alternativa ao PT.

Confira abaixo a entrevista completa do senador Aécio Neves ao programa “É Notícia”, da Rede TV!.

Parte I

Parte II

Parte III

Aécio presidente: senador pavimenta caminho para 2014

Aécio destaca a reinserção do PSDB na região setentrional do país. Tucano considera bom o desempenho da oposição em Minas Gerais e em São Paulo.

Aécio: presidente 2014

Por Redatores da Turma do Chapéu

As vitórias nas eleições municipais fortaleceram a oposição em 2012. Para o senador Aécio Neves, o resultado do PSDB foi além do esperado, com vitórias na região norte e disputas no segundo turno, além de crescimento no sul e no centro-oeste. Com o resultado das eleições, Aécio se consolida como o líder da oposição, e deve ser o candidato tucano à presidência.

Aécio Neves na região do Taquari, em Rio Branco (AC)

Aécio Neves no Acre com o candidato tucano Tião Bocalom: o senador percorre o Brasil

Aécio canta vitória

Correio Braziliense

Antes mesmo do que está por acontecer no segundo turno, o senador Aécio Neves (PSDB-MG), que pavimenta o caminho para sua candidatura à Presidência da República em 2014, comemora o desempenho tucano nas eleições municipais e a correlação de forças políticas que emerge das urnas. “Temos um quadro hoje pluripartidário no Brasil. Então, houve uma distribuição de vitórias por vários partidos políticos. Mais do que havia em outras eleições. Mas, no caso do PSDB, nosso resultado foi muitas vezes além das expectativas que tínhamos há seis meses”.

Aécio destaca a reinserção do PSDB na região setentrional do país: “Vencemos, no conjunto das oposições, duas capitais em primeiro turno; e disputamos outras três ou quatro. Nos reinserimos no Norte do país disputando o segundo turno em capitais da importância de Manaus e de Belém. E tivemos uma situação melhor do que nas outras eleições no Sul e no Centro-Oeste”.

O tucano considera bom o desempenho da oposição em Minas Gerais e, em São Paulo, mesmo com a situação indefinida na capital paulista. Uma eventual derrota de José Serra (PSDB) para o petista Fernando Haddad pode colocar em risco a permanência do governador Geraldo Alckmin no Palácio dos Bandeirantes em 2014. “O PSDB sai mais vivo do que nunca dessas eleições e, o que é mais importante, com lideranças novas, com caras novas, com figuras que vêm falando aquilo que o PSDB deve falar diretamente para as pessoas”.

Estrada

O tucano Aécio Neves aproveita as eleições municipais para consolidar sua candidatura no PSDB. Foi a 20 estados prestigiar os candidatos tucanos e seus aliados e pretende fazer um novo périplo neste segundo turno das eleições. Se ofereceu, inclusive, para participar da campanha de José Serra, com quem se digladiou internamente.

Aécio presidente: De 2014, vamos cuidar somente em 2014

Aécio presidente: De 2014, nós vamos cuidar só em 2014. PSDB vai construir uma proposta alternativa mais ousada nos campos das grandes reformas.

Aécio: presidente 2014

Fonte: O Tempo

Entrevista com Aécio Neves

 Aécio presidente: De 2014, vamos cuidar somente em 2014

Aécio presidente: ‘De 2014, nós vamos cuidar somente em 2014′

Aécio diz que PSDB terá lado nas cidades com 2º turno

Qual é o balanço do desempenho do PSDB das eleições em Minas? O partido elencou algumas prioridades e entre essas cidades sofreu derrotas …

Aécio Neves – Primeiramente, quando você fala em uma análise eleitoral, você não pode restringi-la a um partido. Nós temos uma base muito ampla em Minas Gerais desde o meu governo. Nós apoiamos inúmeros candidatos dessa base no interior do Estado. Ontem, inclusive, fizemos uma reunião no Palácio das Mangabeiras com o governador e algumas lideranças políticas do Estado. A vitória da base de sustentação do governo chega perto de 85% do total das prefeituras do Estado. O PSDBcontinua sendo um partido majoritário em Minas Gerais. O resultado é uma confirmação da aprovação da população mineira a um modelo de gestão que foi implantado em 2003, depois que venci em 2002, e que se mantém vivo e sólido até hoje.

O senhor pode adiantar a posição do PSDB nessas quatro cidades que terão segundo turno?

Aécio Neves – Para não precipitar o processo, nós estamos ouvindo primeiro as lideranças locais do partido e dos candidatos que disputaram as eleições, mas a nossa ideia é termos posição nos quatro municípios.

OUÇA – Aécio Neves fala sobre os erros da campanha do PT na disputa pela Prefeitura de Belo Horizonte:

E em relação a Belo Horizonte …

Aécio NevesO resultado foi excepcional. O que ocorreu foi o segundo turno no primeiro. O momento em que o Palácio do Planalto intervém diretamente no processo eleitoral e retira uma candidatura colocada naquele instante, isso levou um movimento na mesma direção no nosso campo político. A polarização da eleição no primeiro turno foi, talvez, o primeiro equívoco daqueles que quiseram nacionalizar a campanha. Não podemos desprezar a força da presença da presidente da República, que tem uma avaliação muito alta. Foi um resultado extraordinário. Eu acho que o equívoco que o PT cometeu nesse processo e que o levou a mais essa derrota foi colocar em segundo plano o interesse de Belo Horizonte. Desconheceu que havia uma administração em Belo Horizonte em curso séria, bem-avaliada, com investimentos extremamente importantes. Então, nós colocamos o interesse de Belo Horizonte à frente. Eu não fiquei preocupado em contabilizar no meu mapa eleitoral mais um “x”, uma vitória do PSDB, mas, sim, uma vitória importante para Belo Horizonte.

OUÇA – Senador mineiro explica o seu apoio a Marcio Lacerda na prefeitura da capital mineira:

O PT saiu da aliança ou o PSDB o empurrou para fora dela?

Aécio NevesFoi o PT que saiu da aliança, mais uma vez por priorizar o interesse do PT. O PT saiu da aliança por um motivo fútil, porque queria eleger mais “x” vereadores. Ele queria que o PSB fizesse o papel que o PMDB se dispôs a fazer para ele nessa eleição, que foi abdicar de ter uma bancada. O PMDB praticamente desapareceu, elegeu apenas um vereador. Está comprovado, agora, que o PSB tinha razão. O PSB tem que constituir sua bancada para dar sustentação ao prefeito. O prefeito não pode ser chantageado o tempo inteiro por não ter uma bancada do seu partido minimamente sólida.

O senhor acredita que a administração de Belo Horizonte vai ter o perfil do PSDB?

Aécio NevesEu acho que ela será mais ágil e mais eficiente. O Marcio sempre reclamou muito das pressões internas que recebia, esse modo do PT de indicação de cargos a todo instante. Imagina o gabinete do vice-prefeito com 30 cargos comissionados. Nem lugar para sentar essas pessoas tinham. Me falam em mais de 900 cargos comissionados. Eu acho que o prefeito vai ter uma administração mais leve. Sempre fui defensor da tese de que se deve gastar menos com a estrutura, seja do Estado ou da prefeitura, para investir mais nas políticas públicas. Eu acho que o Marcio terá mais liberdade para fazer um governo mais meritório. Eu acho que ele pode fazer uma administração extraordinária porque ele não terá as amarras que teve até aqui.

O Marcio Lacerda se credencia para as eleições em 2014?

Aécio NevesIsso é precipitado dizer. O Marcio tem reafirmado seu interesse em ficar na administração municipal. Ele acaba de ser reeleito, então, é até um desrespeito com a população de Belo Horizonte antecipar essa questão. Agora, é preocupar em renovar a administração, estabelecer as novas metas, cuidar de Belo Horizonte. De 2014, nós vamos cuidar somente em 2014.

A eleição em Recife e aqui coloca o PSB em destaque dentro do quadro nacional. Como o senhor imagina que vai ser a relação do PSB com o PSDB em 2014?

Aécio NevesO PSDB tem uma aliança com o PSB em vários Estados e, talvez aqui, uma das mais sólidas, que é uma aliança natural, que não foi construída para ganhar uma aliança seja nacional, seja estadual. Desde minha primeira eleição, o PSB participa formalmente da nossa aliança, participa dos governos, participou da minha reeleição, participa com Anastasia. Nós apoiamos aqui, em Belo Horizonte, um candidato do PSB e temos várias outras alianças com o PSB no Estado. Mas, o PSB em nível nacional participa da aliança do governo. Seria indelicado da minha parte dizer que o PSB estaria no nosso campo amanhã. O PSDB vai construir uma proposta alternativa mais ousada nos campos das grandes reforma, das parcerias com o setor privado, alavancar os investimentos em infraestrutura. Quais serão os nossos aliados? O tempo é que vai dizer. Eu não posso dizer que alguém que está hoje na base vai vir para se juntar a nós. Quanto mais consistente for o nosso projeto, mais apoio eu acho que vai conquistar, inclusive da sociedade, não apenas dos partidos políticos. Eu tenho muita confiança de que o PSDB estará muito competitivo adiante.

Mas e sua relação com o governador Eduardo Campos?

Aécio NevesEu tenho do ponto de vista pessoal uma relação muito próxima com o Eduardo (Campos, presidente nacional do PSB). Nem sempre estamos no mesmo palanque, mas não é impossível que isso possa ocorrer lá na frente. O PSB vai saber, no tempo certo, a sua posição.

Em relação às eleições nacionais, o PSDB teve um desempenho bom?

Aécio NevesSim, e tem um fato que eu ressalto: o PSDB se restabeleceu no Nordeste e no Norte do Brasil. Se fizermos uma análise superficial, no Sul e no Centro-Oeste, nós sempre tivemos nas eleições nacionais um ótimo desempenho. Vencemos em todos esses Estados porque ali há um perfil de atividade econômica – produtores rurais em boa parte – que se aproxima mais da visão do PSDB. Mantivemos no Sudeste uma posição sólida nos dois maiores colégios eleitorais, em São Paulo e em Minas. Ganhamos em Belo Horizonte e estamos disputando agora em São Paulo, com reais chances. Mas tivemos um fracasso muito grande no Nordeste e no Norte nas últimas eleições. Nessa eleição municipal, nós já vencemos no primeiro turno em Maceió, com o PSDB, em Aracaju, com o Democratas. Estamos disputando Salvador, João Pessoa, Campina Grande, Teresina, São Luís e em outras capitais. No Norte, estamos disputando em Belém e em Manaus, e o PT não está nessas disputas. Houve aí o início do processo de reinserção da oposição no Nordeste, que eu reputo como o fato que mais me chamou a atenção. As oposições saem muito vivas dessas eleições e devem se preocupar, em 2013, de buscar uma nova interlocução com a sociedade, identificar os grandes gargalos que o Brasil tem e que levam ao crescimento pífio da economia.

Quais os equívocos do governo Dilma que podem ser diretriz do seu projeto de 2014?

Aécio Neves – O PT, desde lá de trás, acomodou-se. Abriu mão de ter uma projeto ousado para o país para se contentar com o projeto de poder. As grandes reformas não foram feitas. Nenhuma dessas questões foram enfrentadas. O governo do PT é pouco generoso com os Estados e os municípios e é ineficiente. Em relação a Minas, O PT tem uma dívida muito grande.

Aécio: presidente 2014 – Link da matéria: http://www.otempo.com.br/otempo/noticias/?IdNoticia=213499,OTE&IdCanal=1

“Aécio presidente”: Tasso cogita voltar à vida pública pelo senador

Após as eleições municipais, Aécio Neves sai fortalecido para 2014.

Aécio Presidente: 2014



O ex-governador e ex-senador do Ceará, Tasso Jereissati (PSDB), disse neste domingo (7) que cogita voltar à vida pública para apoiar uma provável candidatura do senador Aécio Neves (PSDB-MG) à Presidência da República. Em 2010, derrotado na corrida pelo Senado Federal, o tucano declarou que estava se aposentando da política para se dedicar aos netos.

Após votar em um colégio particular da capital cearense durante a manhã, Tasso admitiu voltar atrás em sua decisão pelo senador Aécio Neves Ele afirmou à imprensa que se “empolgaria” e se “engajaria” por acreditar “ser uma candidatura de renovação não só de geração, mas de ideias”.

Fonte: Portal iG