• Agenda

    outubro 2019
    S T Q Q S S D
    « out    
     123456
    78910111213
    14151617181920
    21222324252627
    28293031  
  • Categoria

  • Arquivo

  • Blog Aécio Neves

  • Anúncios

PT despreza Minas e não repassa recursos para a segurança

Minas figura entre os estados que menos receberam recursos per capita para a área de segurança pública em todo o Brasil nos últimos três anos.

Gestão Deficiente do PT

Fonte: Estado de Minas

Governo do PT despreza MG no repasse da segurança 

Sem título

Muito ao contrário do que alardeia o candidato petista ao Governo do Estado, a segurança pública de Minas Gerais foi desprezada pelo governo federal do PT. Em uma amostra de claro descaso com o povo mineiro, Minas Gerais figura entre os estados que menos receberam recursos per capita para a área de segurança pública em todo o Brasil nos últimos três anos. Segundo revela reportagem publicada nesta sexta-feira (12/09) pelo jornal “Estado de Minas”, entre 2011 e 2014, foram repassados ao setor de segurança pelo governo de Dilma Rousseff apenas R$ 2,18 para cada habitante do Estado, investimento considerado pífio por especialistas do setor.

Este repasse praticamente irrisório coloca Minas atrás de 24 estados da Federação e do Distrito Federal. O valor total repassado a Minas por meio de convênios com o governo federal foi de R$ 42,7 milhões, para uma população de 19,5 milhões, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Ainda conforme informa a reportagem, os montantes são transferidos para os estados por meio de contratos firmados junto ao Ministério da Justiça e o Departamento Penitenciário Nacional (Depen). Os recursos são utilizados pelos governos estaduais para reforçar as estruturas dos órgãos de segurança pública, por meio da aquisição de equipamentos e treinamentos de policiais.

Os repasses para a segurança pública demonstram que, além de ter virado as costas para Minas, o governo do PT destina maiores parcelas de recursos para estados governados por seus aliados. Os estados que mais receberam investimentos para o setor foram o Acre e Rondônia, que têm no comando, respectivamente, governadores do PT e do PMDB. Na parte de baixo do ranking está, além de Minas, o Estado de São Paulo, que é governado por Geraldo Alckmin (PSDB). Apesar de possuir população de mais de 41 milhões de pessoas, São Paulo recebeu no período apenas R$ 0,75 por habitante, figurando na última posição no ranking de repasses do governo Dilma.

O fato de Minas Gerais figurar na antepenúltima posição dentre os estados beneficiados se deve a obstáculos impostos pelo próprio governo do PT. Ao jornal, o secretário de Estado de Defesa SocialMarco Antônio Romanelli, afirmou que as burocracias impostas pelo governo federal dificultam a liberação dos recursos. “Há uma lista de projetos que foram encaminhados ao governo federal e que não foram analisados ou aprovados. Eles somam mais de R$ 32 milhões e estão relacionados à construção de unidades socioeducativas, capacitação de policiais, combate às drogas e estruturação de unidades integradas das polícias”, informou Romanelli, segundo o Estado de Minas.

Prioridade para Minas

“É lamentável que o PT faça distinções partidárias até em uma área tão importante. Esta é a postura desses que querem governar Minas Gerais. Ao beneficiar seus aliados, o PT vira as costas para o cidadão mineiro. O Governo de Minas, ao contrário, entende que, muito mais do que uma atribuição constitucional dos estados, a segurança pública é um setor que exige muitos investimentos. Por isso, nós vamos fortalecer ainda mais a estrutura das forças deDefesa Social e ampliar as ações de policiamento ostensivo nas ruas das cidades mineiras”, disse o candidato a governador pela Coligação Todos por MinasPimenta da Veiga, ao reafirmar seus compromissos para o setor.

Apesar do menosprezo do governo do PT com relação ao Estado, os governos do PSDB em Minas não apenas cumpriram seu papel constitucional com relação ao setor, como, ainda, lideraram o ranking nacional de investimentos em combate à criminalidade. Minas é o Estado que mais investe em segurança no Brasil, proporcionalmente ao orçamento, de acordo com dados do 7º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Além disso, Minas possui a melhor gestão de segurança pública do país, segundo levantamento de Governança de Segurança Pública, divulgado no último mês de abril pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

Anúncios

Militares, civis e bombeiros terão seis reajustes escalonados até 2015. Governo Anastasia afirma que aumento levará piso para R$ 4 mil, colocando Minas com segunda maior remuneração do país

Polícia dobrará salários

Fonte: Ernesto Braga – Estado de Minas

Militares, civis e bombeiros terão seis reajustes escalonados até 2015. Estado afirma que aumento levará piso para R$ 4 mil, colocando Minas com segunda maior remuneração do país

Policiais militares, civis, bombeiros e agentes penitenciários, inclusive os de funções administrativas, terão o salário dobrado em quatro anos. A secretária de Estado de Planejamento e Gestão, Renata Vilhena, anunciou ontem o reajuste escalonado válido para todo o sistema de Defesa Social de Minas. Serão 7% em dezembro, 10% em outubro de 2012, 13% em agosto de 2013, 15% em junho de 2014, 12% em dezembro do mesmo ano e 15% em abril de 2015. A soma chega a 72%. Ao final, com o reajuste de cada etapa incidindo sobre a outra, o piso inicial de todas as categorias passará de R$ 2.041 para R$ 4 mil.

De acordo com a secretária, os salários serão corrigidos na folha de pagamento do mês posterior ao que foi aplicado o reajuste. Ou seja, os servidores da área de defesa social vão receber o primeiro pagamento reajustado em janeiro de 2012. Ela observa que o décimo terceiro salário de 2011 também terá incidência do reajuste. “Pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), o décimo terceiro seria reajustado em um doze avos. Mas nós pagaremos o valor integral”, afirmou.

Segundo ela, o aumento salarial das polícias, bombeiros e agentes penitenciários não estava previsto para 2011, mas foi analisado pelas equipes econômica e de planejamento do governo, atendendo solicitação dos comandantes e chefes das corporações. “Eles apontaram a necessidade de mantermos essa política remuneratória aplicada desde 2004. Tínhamos proposto 5% a partir de dezembro, mas decidimos rever, já que o menor reajuste dos servidores estaduais foi de 6%. Dessa forma, chegamos a 7% (na primeira etapa da escala)”, detalhou.

A secretária afirma que o reajuste escalonado é necessário para não ferir a Lei de Responsabilidade Fiscal. “Não seria possível atendermos a reivindicação salarial em etapa única. Esse é o escalonamento que podemos suportar, aplicando índices que teremos condições de pagar, sem atrasos, no quinto dia útil do mês. Foi a proposta mais ousada à qual conseguimos chegar”, declarou. Renata Vilhena informou que todo o sistema de Defesa Social mineiro teve 104% de reajuste salarial de 2004 a 2011. O índice da inflação no período foi de 59%.

SEGUNDO MAIOR Com o reajuste salarial escalonado, policiais militares, civis, bombeiros e agentes penitenciários de Minas passarão a ter o segundo maior salário do país, atrás apenas do Distrito Federal. “Os salários pagos no Distrito Federal não servem como base, pois lá há repasse federal. Ou seja, o valor pago em Minas será acima da média nacional”, afirmou.

No momento em que Renata Vilhena apresentava os índices de reajuste à imprensa, na tarde de ontem, o secretário de Estado de Defesa Social, Lafayette Andrada, o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Renato Vieira de Souza, e o chefe da Polícia Civil, delegado-geral Jairo Lellis Filho, estavam reunidos com representantes dos sindicatos e associações dos servidores envolvidos. “A proposta foi apresentada aos comandos das corporações, que estão repassando os números às categorias”, disse a secretária.

Para ela, a proposta será bem aceita pelos servidores do sistema de Defesa Social, evitando apossibilidade de greve da PM prevista para começar amanhã, quando militares farão nova assembleia em BH. “Um aumento desse, acredito que é um valor que jamais era esperado pela categoria. Nós estamos conseguindo atender a reivindicação salarial e sabemos que chegaremos ao final como o Estado com o melhor salário para as polícias.”

Para entender
Fonte: Seplag

Policiais militares, civis, bombeiros e agentes penitenciários terão o salário dobrado em quatro anos, conforme escala criada pela Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão:

7% em dezembro
10% em outubro de 2012
13% em agosto de 2013
15% em junho de 2014
12% em dezembro de 2014
15% em abril de 2015

A soma chega a 72%. Mas, ao final, com o reajuste de cada etapa incidindo sobre a outra, o piso inicial de todas as categorias passará de
R$ 2.041 para R$ 4 mil

Banco Mundial aponta programa Fica Vivo do governo Aécio Neves como sucesso na redução de homicídios

Banco Mundial aponta programa Fica Vivo! como sucesso na redução de homicídios

Lúcia Sebe/Secom MG
O Fi
ca Vivo! combina ações de repressão qualificada e inclusão social

Fonte: Agência Minas

Programa de Controle de Homicídios Fica Vivo!, criado pelo Governo Aécio Neves em 2003, foi citado no relatório do Banco Mundial (Bird), divulgado nesta segunda-feira  (11), como uma iniciativa de sucesso em todo o mundo na redução dos índices de criminalidade. Em mais de 350 páginas, o documento revela como a violência é a principal limitação para o alcance dos Objetivos do Milênio, ressaltando iniciativas de cerca de 20 países que têm contribuído efetivamente para melhorias na área de segurança pública. O Fica Vivo! é citado como o destaque do Brasil, por causa da redução em até 50% dos índices de homicídios entre jovens nas regiões atendidas pelo programa.

O programa Fica Vivo! combina ações de repressão qualificada e inclusão social, intervindo na realidade social antes que o crime aconteça. Desde a criação do programa, em 2003, já foram realizados mais de 50 mil atendimentos de jovens entre 12 e 24 anos, em situação de risco social e residentes em áreas com indicadores elevados de homicídios. Todos os atendidos passaram por uma ou mais das 650 oficinas disponibilizadas pelo programa do Governo de Minas que, hoje, já é realizado em 27 Núcleos de Prevenção à Criminalidade em todo o Estado.

Reconhecimento

Para o governador Antonio Anastasia, é um grande incentivo o fato de o Banco Mundial, que é parceiro de Minas em várias iniciativas, estar sempre indicado projetos do Estado, como o Fica Vivo!, como modelo a ser seguido por outros estados. “Este reconhecimento do Banco Mundial em relação ao Fica Vivo! é resultado do modelo de gestão implantado em Minas Gerais, baseado na boa governança e no cumprimento de metas para a melhoria de atendimento aos cidadãos”, afirma.

A coordenadora especial de prevenção à criminalidade da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), Fabiana Leite, também comemorou o destaque no relatório divulgado pelo Banco Mundial. “O Fica Vivo tem buscado constituir relações com instituições internacionais e fora de Minas Gerais, porque há uma percepção de como esta interlocução é fundamental para buscar qualificar ainda mais os resultados e contribuir também com outras localidades que, infelizmente, encontram-se com o fenômeno de homicídios em recrudescimento”, salientou.

Abrangênc
ia

O secretário de Estado de Defesa Social, Lafayette Andrada, lembra que a previsão da Secretaria é de ampliar os núcleos de prevenção à criminalidade para aumentar a abrangência do programa de prevenção de homicídios. “Recentemente, recebemos a visita do consultor em seguridade cidadã da ONU, Gino Costa, que veio conhecer, entre outros destaques, do nosso Sistema de Defesa Social, o programa Fica Vivo!”, disse.

A Organização das Nações Unidas (ONU) está mapeando experiências bem-sucedidas em segurança pública de toda a América Latina, como forma de nortear seus trabalhos de supervisão e de assistência a localidades com altas taxas de violência. E o Fica Vivo! será citado neste documento da ONU, que levará recomendações aos governantes e gestores de toda a América Latina baseadas nos programas que trouxeram diminuição das taxas de violência.

Objetivos do Milênio

O relatório divulgado pela ONU, nesta segunda-feira, aponta causas e soluções para o não cumprimento dos Objetivos do Milênio pelos países. Estes objetivos são metas estabelecidas pela Organização das Nações Unidas (ONU) para reduzir pobreza fome, morte de mães e crianças, moradia inadequada, desigualdade entre sexos e degradação ambiental até 2015.

Segundo o “Relatório sobre o Desenvolvimento Mundial de 2011: Conflito, Segurança e Desenvolvimento”, uma em cada quatro pessoas no mundo vive em países afetados por repetidos ciclos de violência política e criminosa. Segundo o estudo, em países onde a violência é prolongada, as taxas de pobreza são, em média, 20 pontos percentuais mais altas que em outras nações.

Governo Anastasia vai produzir cartilha para uso seguro de lareiras

O Governo de Minas Gerais, por meio das secretarias de Estado de Turismo, de Defesa Social, e do Corpo de Bombeiros, vai produzir um manual informativo para prevenção de contaminação por monóxido de carbono. O anúncio da distribuição do material para empreendimentos hoteleiros de todo o Estado foi realizado, na tarde desta quarta-feira (23), após reunião entre o secretário de Estado de Turismo, Agostinho Patrus Filho, o gerente do Projeto Estruturador de Avaliação e Qualidade da Secretaria de Estado de Defesa Social, José Francisco da Silva, o diretor de Assuntos Institucionais do Corpo de Bombeiros, coronel Matuzail, e a presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (Abih), Silvania Capanema.

Agostinho Patrus Filho explica que a medida de precaução será tomada após os indícios da causa da morte de um casal em consequência da contaminação por monóxido de carbono, em ambiente fechado, em uma pousada de luxo em Brumadinho. “O Governo de Minasrespeita o tempo de apuração dos fatos, mas se antecede neste trabalho de prevenção tendo em vista a proximidade da alta temporada turística no Estado – outono/inverno –, que, certamente trará mais turistas para Minas Gerais, principalmente nos destinos montanhosos, como Monte Verde e outras cidades do Sul de Minas, além das tradicionais cidades históricas”, antecipou-se.

Patrus Filho disse, ainda, que a proposta é alertar os hotéis, as pousadas e outros estabelecimentos de hospedagem para que eles sigam as orientações do Corpo de Bombeiros. Serão produzidas aproximadamente 10 mil cartilhas que serão distribuídas a partir da próxima semana em todos os empreendimentos hoteleiros, secretarias municipais de turismo de Minas Gerais e Associações de Circuitos Turísticos do Estado. “Os proprietários dos estabelecimentos serão orientados a afixar, em local visível, o informativo com orientações para o usuário sobre a utilização destes equipamentos”, explicou.

O conteúdo do material está sendo produzido por um corpo técnico do Corpo de Bombeiros. A Setur, a Abih e o Corpo de Bombeiros também disponibilizarão a cartilha nos portais das entidades.

Para a presidente da Abih, Silvania Capanema, a população deve estar atenta aos riscos que se correm na utilização de um equipamento que, à primeira vista, é inofensivo. “Os mineiros não têm o hábito de utilizar lareiras, por isto, vejo a necessidade deste assunto ser tratado com a importância que merece”, afirmou.

Orientações

De acordo com o diretor de Assuntos Institucionais do Corpo de Bombeiros, coronel Matuzail, a contaminação por monóxido de carbono, nas mesmas circunstâncias encontradas em Brumadinho, é um risco imperceptível, uma vez que o ar contaminado não possui odor ou cor. “A utilização de lareira ou outro equipamento que produz gás necessita do que chamamos de ventilação cruzada, ou seja, que tenha entrada e saída de ar”, afirmou. O Corpo de Bombeiros alerta, ainda, que em casos de instalação destes equipamentos sem critérios técnicos, sua utilização sem os cuidados adequados pode ser fatal.

 

Governo Anastasia: Humanização e ressocialização se destacaram no sistema prisional

O aumento expressivo do número de presos que trabalham ou estudam durante o cumprimento da pena, a transferência da administração de cadeias públicas para o Sistema Prisional, a reforma de expansão de unidades e o estabelecimento de parcerias com a iniciativa privada para o desenvolvimento de projetos voltados para a ressocialização dos detentos. Estes são os principais itens da lista de avanços obtidos pelo Governo Antonio Anastasia, por meio da Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi), da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), ao longo do ano de 2010.

Em janeiro havia 5.600 presos trabalhando paralelamente ao cumprimento da pena. Atualmente o número é de nove mil presos que trabalham, o que representa um aumento de 60,7%. Os resultados rumo à reinserção social dos detentos se multiplicam por meio do programa Trabalhando a Cidadania, da Superintendência de Atendimento ao Preso (Sape), responsável pela busca de parceiros públicos e privados que ofereçam oportunidades de trabalho aos detentos.

A Seds tem hoje cerca de 270 parceiros públicos e privados. Entre eles estão empresas dos ramos de panificação, mecânica, metalurgia e confecção. Mais de dois mil presos já participaram de cursos profissionalizantes como marcenaria, jardinagem, pedreiro de alvenaria, padaria, confecção de roupas, tornearia mecânica, artesanato, auxiliar administrativo, assistente de pessoal, informática básica, bijuterias, construção e reparos.

Educação

As penitenciárias têm prioridade na instalação de escolas, por abrigarem os presos cuja sentença já foi transitada em julgado e, em Minas Gerais, todas já dispõem de salas de aula. O projeto educacional também já alcança os presídios e, atualmente, há escolas em 42 unidades prisionais do Estado, que trabalham tanto com alfabetização quanto com a modalidade EJA (Educação para Jovens e Adultos).

No total, cerca de 4.600 detentos e 970 adolescentes frequentam a escola enquanto estão sob custódia do Estado, o que equivale a 24% dos presos condenados. Desse total, 12 frequentam cursos superiores, divididos entre as áreas de Direito, Fisioterapia, Nutrição, Enfermagem e Técnico em Produção Sucroalcooleira.

Humanização

Atendendo às demandas do movimento dos Direitos Humanos e de familiares dos presos, os procedimentos nas revistas íntimas estão sendo revistos. Hoje, em dez unidades as revistas são feitas nos presos e não nas famílias, com destaque para Cataguases e Leopoldina, na Zona da Mata. A perspectiva é estender essa ação, voltada para humanização, para mais 25 unidades em 2011. Vinte e seis unidades prisionais, entre elas o Centro de Remanejamento do Sistema Prisional (Ceresp), em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), e a Penitenciária José Maria Alkimin, em Ribeirão das Neves, também na RMBH, já contam com a identificação biométrica para visitantes.

Os visitantes fazem um registro em que é armazenada, por meio de um programa de computador, a sua impressão digital e a sua fotografia. A cada visita, a pessoa é identificada biometricamente e é emitida uma etiqueta, que deverá ser usada durante todo o período de permanência. Na saída, confere-se novamente a impressão digital, garantindo a maior segurança. A estimativa é que seja gasto menos de um minuto para identificar cada pessoa. A tecnologia deverá ser estendida ainda no primeiro semestre de 2011, a mais 64 unidades prisionais.

Unidades prisionais

Das unidades prisionais administradas hoje pela Suapi, 66 eram antigas cadeias públicas que ficavam sob a responsabilidade da Polícia Civil. A transição permitiu que policiais civis, antes encarregados da guarda de presos, retomassem suas funções iniciais, atuando no trabalho investigativo.

As mudanças nas unidades assumidas incluem o uso de uniforme obrigatório para os detentos e até a visitação permitida somente após cadastro dos interessados, mediante apresentação de antecedentes criminais, comprovante de residência e cópias do RG e CPF. Os detentos passam a receber assistência odontológica, psicológica, social, jurídica e quatro refeições diárias.

Ampliação

Um anexo composto de 50 celas com capacidade para 302 detentos, dois pátios para banho de sol e local para visita foi inaugurado em dezembro na Penitenciária Aluizio Ignácio de Oliveira, em Uberaba, no Triângulo Mineiro. Para a construção do novo espaço houve investimento de R$ 7,43 milhões do Governo do Estado. A inauguração é mais uma ação da Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi) no caminho da ampliação, modernização e humanização do sistema prisional mineiro.

Já estão em andamento também as obras de construção do primeiro complexo penitenciário do país implantado no modelo de Parceria Público-Privada (PPP). O complexo está sendo construído em Ribeirão das Neves e garantirá 3.040 novas vagas ao sistema prisional mineiro. A previsão de entrega das três primeiras unidades prisionais, com total de 1.824 vagas, é no final de 2011. A segunda entrega, de mais duas unidades e total de 1.216 vagas, será no final de 2012, finalizando a construção do complexo.

Governo Anastasia inaugura Laboratório de Tecnologia Contra a Lavagem de Dinheiro

Polícia Civil do Estado de Minas Gerais, órgão ligado ao Governo Anastasia,  inaugurou, nesta quarta-feira (22), o Laboratório de Tecnologia Contra a Lavagem de Dinheiro (LAB LD), em Belo Horizonte, que vai usar moderna tecnologia para cruzar dados na produção de conhecimento e identificação de redes de relacionamentos entre organizações criminosas, gerando clareza e certeza nas provas de delito. Entre os crimes que podem ser analisados pelo laboratório, estão o contrabando, o tráfico de drogas e de armas, corrupção e práticas ilegais cometidas contra a administração pública.

De acordo com o secretário nacional de Justiça, Pedro Vieira Abramovay, a tecnologia permite o cruzamento de dados das organizações criminosas investigadas por meio do acesso e processamento das informações, cruzando-as de modo a caracterizar a lavagem de dinheiro através de viagens e investimentos, por exemplo.

Investimento

O chefe de Polícia Civil, delegado-geral Marco Antonio Monteiro de Castro, disse que a ferramenta irá agilizar o trabalho da Polícia Civil. Ele ressaltou que considera indispensável o investimento em tecnologia para o combate ao crime organizado. “O laboratório não funciona como uma delegacia de polícia, mas tem papel preponderante no processamento de informações para os delegados, auxiliando na apuração de crimes que tipificam a lavagem de dinheiro”, explicou.

Segundo Monteiro, o grande fluxo de dados bancários, telefônicos, fiscais e outros obtidos em diversas investigações a cargo da Polícia Civil, frente à impossibilidade de uma análise manual, indicavam a necessidade da criação de uma unidade que dispusesse de recursos tecnológicos capaz de realizar o cruzamento desses dados.

Agilidade

O laboratório terá como coordenador o delegado Luiz Flávio Cortat, que contará com 12 investigadores na equipe e hardwares e softwares de ponta para mapear a ação de organizações criminosas. Ele explica que o laboratório não vai pedir a quebra de sigilo telefônico ou bancário, por exemplo, mas a partir do pedido do delegado que estiver presidindo o inquérito e a autorização da Justiça, o LAB LD entra em ação.

Para exemplificar a importância do laboratório nas investigações, o delegado Cortat citou a recente prisão do traficante Luiz Cosme Barbosa, o Barriga, dono de vasto patrimônio e cuja conferência, manual, foi demorada. Com a tecnologia, a investigação seria agilizada, facilitando o trabalho policial. A polícia paulista, no combate ao PCC, utilizou o laboratório para identificar a movimentação dos líderes da organização criminosa.

A nova unidade é uma das 16 que serão inauguradas em nove estados brasileiros até o início do próximo ano, de acordo com o Pedro Vieira Abramovay. Em Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro o laboratório é autônomo, vinculado somente à Polícia Civil. Nos outros estados há parceria com o Ministério Público.

 

Iniciativa do Governo Anastasia e Correios permite que presos produzam brinquedos para o Natal

A Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi) da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), órgão do Governo Antonio Anastasia, adotou mil cartinhas do projeto Papai Noel dos Correios. Todas as pessoas – do subsecretário aos detentos – se mobilizaram para garantir o sorriso de crianças ou adultos carentes.

Os presos irão fabricar bolas, agasalhos, brinquedos de madeira e bicicletas para presentear os inúmeros autores das cartas que solicitaram algum dos itens produzidos. Os presentes construídos pelos detentos serão recolhidos pelos Correios, junto com aqueles comprados por funcionários da Suapi que se tornaram padrinhos de uma das crianças ao escolher algum dos pedidos endereçados ao Papai Noel, no próximo dia 16.

A ideia de aderir ao projeto dos Correios surgiu no ano passado. Na ocasião foram adotadas 300 cartas. Para o subsecretário de Administração Prisional, Genilson Zeferino, a iniciativa é fruto do constante trabalho de humanização do sistema prisional. “A população tende a ter preconceito, enxergam os presos como pessoas que não têm sentimento, que querem o mal da sociedade, como se essa percepção justificasse o esquecimento. Com essa ação os presos mostram que, embora esquecidos, eles querem um contato com o mundo”, afirma.

O depoimento de um preso do Complexo Penitenciário Nelson Hungria, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), segundo o subsecretário, comprova o desejo que eles têm de participar da vida em sociedade. “O detento disse que o mês de dezembro sempre mexe com ele. Há oito anos preso, ele conta que no Natal sempre se lembra da infância. E que essa será a primeira vez que poderá doar um presente que ele mesmo fez”, conta Zeferino.

Presentes

No Complexo Penitenciário Nelson Hungria e em outras três unidades prisionais do Estado os detentos estão envolvidos na produção de bolas para serem dadas de presente às crianças. No Presídio Floramar, em Divinópolis, no Centro-Oeste do Estado, onde há um setor de confecção, serão feitos agasalhos. Nos presídios de Curvelo, na região Central do Estado, e Araxá, no Alto Paranaíba, os presos estão reformando bicicletas que também vão ser repassadas às crianças que escreveram cartas para o Papai Noel. Por fim, na Penitenciária Dênio Moreira de Carvalho (PDMC), em Ipaba, no Leste do Estado, 20 presos que trabalham na marcenaria produzirão, até o dia 14 de dezembro, cerca de 200 brinquedos de madeira, entre casinhas de bonecas, carrinhos e brinquedos pedagógicos. “É muito gratificante a Suapi participar deste projeto. Todo mundo vibra com ele”, diz o diretor da unidade, Adão dos Anjos.

O diretor da PDMC conta que há nove anos a penitenciária arrecada brinquedos junto à comunidade para presentear os filhos dos detentos no Natal e no Dia das Crianças. Há também doações de cestas básicas, que são repassadas às famílias dos presos que residem em Ipaba.

Além das iniciativas próprias de cada estabelecimento, nas unidades prisionais mineiras haverá, no fim de semana do Natal, um almoço especial para os presos e suas famílias. “É para amenizar, nesse período, este mundo tão duro e torná-lo mais humano. Nesse dia, em vez de troca de presentes, há troca de carinho”, conclui o subsecretário da Suapi.