• Agenda

    março 2020
    S T Q Q S S D
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    3031  
  • Categoria

  • Arquivo

  • Blog Aécio Neves

Aécio é o político que mais influencia o voto do eleitor

Aécio: eleições 2012

 Aécio: senador e as eleições 2012 em Belo Horizonte

Senador Aécio Neves é o principal influenciador de votos nas eleições 2012 em 2012

Aécio é o político que mais influencia o voto do eleitor

PSDB dá ultimato ao prefeito Marcio Lacerda (PSB) para indicar candidato a vice

O senador Aécio Neves (PSDB) é o principal cabo eleitoral em Belo Horizonte. É o que revela pesquisa encomendada pelo diretório municipal tucano para medir a influência do ex-governador na disputa pela prefeitura. Segundo o levantamento, registrado na Justiça Eleitoral com o número 48/2012, para 55% dos eleitores da capital, a opinião de Aécio é importante na hora de escolher o candidato a prefeito. Ogovernador Antonio Anastasia (PSDB) aparece em segundo lugar, com 12%, seguido pelo ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel (PT). O ex-senador Hélio Costa (PMDB), que perdeu a disputa para o governo do estado para Anastasia, em 2010, ficou na quarta colocação, com 3%.

De acordo com a sondagem, 16% dos eleitores não levam em consideração nenhuma opinião e 4% não responderam ao questionamento. A pesquisa foi feita pelo Instituto Vox Populi entre 19 e 20 de abril, com 500 pessoas. A margem de erro é de 4,4% para mais ou para menos.

No cruzamento por sexo, idade, escolaridade, renda familiar e atividade econômica, o apoio do senadoré importante para mais da metade dos entrevistados. Esse patamar só não é atingido no levantamento feito com eleitores que têm entre 16 e 24 anos e nos detentores de renda familiar entre três e cinco salários mínimos, ficando entre 48% e 49%, respectivamente. Os dados mostram também que 36% dos entrevistados votariam com certeza no candidato apoiado pelo senador e 20% no nome que contasse com o aval do governador Anastasia. Pimentel influencia 15% dos belo-horizontinos e Hélio Costa, 7%.

A pesquisa vai embasar as negociações que vêm sendo feitas entre PSDB e PSB para a campanha pela reeleição de Marcio Lacerda (PSB). Em troca do apoio ao prefeito, os tucanos querem se coligar com o PSB na chapa dos candidatos a vereador, sem a presença do PT, ou então indicar o vice. O presidente do PSDB mineiro, Marcus Pestana, foi enfático ao dizer que os tucanos não aceitam que o PT indique o vice e ainda se coligue com o PSB na proporcional. “É uma coisa ou outra”, afirma. A principal condição do PT para se aliar ao PSB é a aliança na proporcional. O deputado disse que a pesquisa deixa claro a força do PSDB na capital e que a legenda não pode ser prejudicada pelo PT, segundo ele, um partido secundário.

A discussão sobre qual partido indicaria o companheiro de chapa havia sido superada depois do acordo fechado pelo PSB com os petistas, mas a possibilidade de Lacerda disputar o governo em 2014, com o apoio do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, para garantir um palanque forte para a reeleição dapresidente Dilma Rousseff, pode mudar o quadro e atrapalhar os planos de Aécio de disputar a Presidência. A candidatura de Lacerda ao governo pode garantir também o retorno do PT à Prefeitura de Belo Horizonte, caso Lacerda seja reeleito tendo um petista como vice. Esse cenário não favorece uma eventual candidatura do senador em 2014 e atrapalha os planos dos apoiadores de Anastasia de lançar o vice-governador Alberto Pinto Coelho (PP) candidato ao governo do estado.

Terceira via Nos últimos meses, azedaram as relações entre o senador e Lacerda. Diante disso, crescem as especulações de que Aécio pode vir a apoiar a candidatura a prefeito do deputado estadual Délio Malheiros (PV). Mesmo que o PSDB permaneça na chapa do PSB, o deputado verde vai contar nos bastidores com a simpatia do senador e de seus aliados. Malheiros já tem também a garantia de apoio financeiro à sua candidatura.

presidente do diretório municipal do PSDB, João Leite, desconversou quando questionado sobre a possibilidade de seu partido apoiar formal ou informalmente a candidatura do PV. Segundo ele, o senador assumiu o compromisso com o PSB nacional de apoiar a reeleição de Lacerda, mas delegou ao partido a palavra final sobre o assunto. “Não está nada certo ainda com o PSB. Estamos aguardando uma posição do partido sobre nossas reivindicações, a coligação na proporcional sem o PT e a indicação do candidato a vice na chapa de Lacerda”, afirmou. João Leite argumentou que o PSDB não tem como barrar o desejo de outros partidos de lançarem nomes para a disputa. “Todas as candidaturas são legítimas, Não temos como barrar nomes ligados ao senador Aécio Neves, hoje a maior liderança em Minas, como ficou claro nessa pesquisa e na eleição de 2010, quando ele transferiu votos paraAnastasia, que acabou eleito no primeiro turno”, ponderou.

Aécio: eleições 2012 – Link da matéria: http://www.em.com.br/app/noticia/politica/2012/05/06/interna_politica,292699/aecio-e-o-politico-que-mais-influencia-o-voto-do-eleitor.shtml

Governo Anastasia pede à União R$ 3,9 bilhões para obras de prevenção e recuperação das cidades mineiras atingidas pelas chuvas

Chuvas em Minas, Gestão Pública

Fonte: Amanda Almeida – Estado de Minas

MG pede R$ 3,9 bi para 318 projetos

O governo de Minas pediu ontem ao governo federal R$ 3,9 bilhões para obras de prevenção e de recuperação dos municípios atingidos pelas chuvas deste ano. Uma comitiva, representando o governador Antonio Anastasia (PSDB), entregou à ministra de Planejamento, Miriam Belchior, 318 projetos de intervenções apontadas por prefeituras mineiras e pelo próprio Executivo estadual. Ainda não há previsão de liberação dos recursos. Os pedidos envolvem drenagens, dragagens, desassoreamento de rios, construções de pontes, calçamento de ruas, entre outros.

Segundo o governador, do total solicitado ao governo federal, R$ 1,5 bilhão é para projetos de competência do governo de Minas e R$ 2,4 bilhões para obras de responsabilidade dos municípios. “O portfólio de projetos foi entregue hoje (ontem) e vai ser discutido, naturalmente. Não se pretende que haja liberação nestes dias, até porque há projetos estruturantes, processos longos, como construção de barragens, que demandam recursos expressivos”, comentou Anastasia.

Entre as intervenções prioritárias apresentadas pelo governo de Minas para a Região Metropolitana de Belo Horizonte, estão as obras de contenção de cheias na bacia do Córrego da Ferrugem, em Contagem, e sua expansão para controle de cheias no Córrego Riacho das Pedras. Há também projeto de requalificação urbana e ambiental do Ribeirão Arrudas e de construção de bacias de contenção para o Córrego Cachoeirinha e da Onça, além da ampliação dos sistemas de abastecimento e esgotamento sanitário nas bacias do Rio das Velhas e Paraopeba.

São 206 intervenções para prevenção e 112 de recuperação de municípios atingidos. “Detalhamos ao Ministério do Planejamento projetos de prevenção, com obras de drenagem, de contenção de encostas, de dragagem de rios que, se implementados, vão beneficiar as regiões do estado que mais sofrem com o período chuvoso”, disse o secretário de Estado de Desenvolvimento Regional e Política Urbana, Bilac Pinto, que esteve presente na reunião com o governo federal. O levantamento das obras foi feita por técnicos dogoverno de Minas.

Segundo Anastasia, as obras são demandas de mais de 100 municípios. “São valores expressivos que vão ser analisados de acordo com a capacidade do orçamento da União”, afirmou. O histórico de liberação de recursos para recuperação de cidades destruídas pelas chuvas, no entanto, não é animador. No ano passado, o governo federal prometeu a liberação de R$ 50 milhões para obras de recuperação das cidades afetadas entre 2010 e 2011, e o governo de Minas, R$ 20 milhões. Pouco mais da metade desses recursos foi efetivamente investida.

Além do pedido do governo de Minas, mais recursos podem ser demandados. Em reunião com os prefeitos da Zona da Mata mineira, região mais atingida este ano, um representante do Ministério da Integração Nacional disse que técnicos da pasta passarão pelas cidades nos próximos dias para ajudar as prefeituras a elaborar projetos de recuperação – o ministro da Integração, Fernando Bezerra, chegou a dizer que verbas ficam retidas por falhas nos projetos das obras.

Antecipação da Bolsa-Família
Mais de 289 mil famílias mineiras terão pagamento da Bolsa-Família antecipado em Minas. O benefício será liberado a partir do dia 18 em 104 municípios mineiros que decretaram estado de emergência por causa das enchentes. Em fevereiro, as pessoas poderão fazer o saque dia 14. A medida, conforme informações do Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), visa ao atendendimento dos beneficiários que moram nas cidades que se declararam em situação de emergência devido às enchentes. Ao todo, segundo dados de dezembro de 2011, serão pagos R$ 33.399.771 para 289.453 mil famílias. De acordo com o coordenador-geral de Logística de Pagamentos de Benefícios MDS, Gustavo Camilo, a previsão é que esse número aumente.