• Agenda

    setembro 2019
    S T Q Q S S D
    « out    
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    30  
  • Categoria

  • Arquivo

  • Blog Aécio Neves

  • Anúncios

Material de campanha de Aécio não foi entregue aos destinatários

Aécio Neves engrossou as denúncias com os Correios, ao afirmar que material de sua campanha não foi entregue aos destinatários.

Fonte: Hoje em Dia

Aécio engrossa denúncias sobre ‘uso dos Correios’ em Minas

Frederico Haikal/Hoje em Dia

O presidenciável do PSDB, senador Aécio Neves (MG), engrossou as denúncias com os Correios na tarde desta sexta-feira (3), ao afirmar que material de sua campanha enviado pela Força Sindical para aposentados em São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro não foram entregues aos destinatários. Segundo o presidente licenciado da entidade, deputado federal Paulo Pereira da Silva (SD), a Força estuda tomar “medidas jurídicas” contra os Correios, além de pedir o “ressarcimento” do pagamento pelo serviço, cujo valor não soube informar.

“A gente mandou as cartas para endereços de pessoas próximas, que nos disseram que não receberam. A gente já esperava isso. Vamos pedir o ressarcimento”, afirmou Paulinho da Força, que é aliado formal de Aécio e integra a coordenação política da campanha tucana. “Isso é algo extremamente grave”, avaliou Aécio, durante visita à Pedreira Prado Lopes, uma das maiores favelas de Belo Horizonte.

O PSDB pediu à Justiça Eleitoral que instaure ação de investigação judicial eleitoral (AIJE) para apurar abuso de poder econômico e político por causa do uso da estrutura dos Correios em benefício da candidatura de Dilma Rousseff. Segundo a campanha tucana, parte de dois lotes de 11,4 milhões de correspondências de Aécio e do candidato da legenda ao governo de MinasPimenta da Veiga, enviados em agosto e setembro não teria sido entregue.

Aécio ainda cobrou de Dilma “explicações” sobre o pagamento de material da campanha petista sem chancela distribuído pelos Correios em São Paulo, conforme mostrou o Estado. Os Correios afirmaram que o serviço foi regularmente contratado e pago à vista pela campanha de Dilma. “Quero dar à senhora presidente da República a oportunidade de prestar esse esclarecimento. Tive o cuidado de examinar a prestação de contas da candidata Dilma Rousseff. E a prestação de contas de 2 de setembro, onde deveriam constar todos os pagamentos feitos até 31 de agosto, não consta nenhum pagamento para a Empresa de Correios e Telégrafos (ECT)”, disparou o tucano.

Aécio tem investido a maior parte de seu tempo em Minas para tentar alavancar a candidatura de Pimenta da Veiga. Pelas últimas pesquisas eleitorais, o tucano tem chance de ser derrotado em primeiro turno pelo ex-ministro Fernando Pimentel (PT). “O Brasil assiste a um vergonhoso vale-tudo para se ganhar uma eleição. E esse vale-tudo infelizmente ameaça chegar a Minas Gerais. Não vamos permitir que esse modo de agir do PT alcance as nossas empresas. Não queremos que a Cemig vire uma nova Petrobras e que a Copasa vire um novo Correio, com escândalos sucessivos”, concluiu.

Anúncios

Aécio, Anastasia e Pimenta são recebidos com festa em Juiz de Fora

Com grande festa, a população confirmou o que as últimas pesquisas eleitorais já apontam, a virada de Aécio na reta final da campanha.

Eleições 2014

Fonte: Jogo do Poder

Multidão recebe Aécio, Pimenta da Veiga e Anastasia em Juiz de Fora

No calçadão da rua Halfeld, centenas de pessoas confirmam o apoio aos candidatos e esquentam a virada na reta final da campanha

A cidade Juiz de Fora (Zona da Mata) parou, na tarde desta quarta-feira (1º/10), para receber de forma calorosa AécioPimenta da Veiga e Anastasia. Uma multidão recebeu os candidatos em uma grande festa no calçadão da rua Halfeld, um dos mais importantes pontos de Juiz de Fora e palco de inúmeras manifestações políticas. Com bandeiras, chuvas de papel picado, fogos de artifício e muita animação, a população confirmou o que as últimas pesquisas eleitorais já apontam, a virada de Aécio na reta final da campanha.

Dezenas de veículos, acompanharam a carreata dos candidatos pela Avenida Independência até o Parque Halfeld. Com muita empolgação, os motoristas promoveram um grande buzinaço, chamando a atenção da população para a chegada na cidade dos candidatos que querem trazer mais avanços para Minas e fazer as mudanças que o Brasil precisa.

No calçadão da Rua Halfeld, AécioPimenta e Anastasia receberam o apoio de 250 estudantes de Medicina. Aécio reiterou o compromisso com os profissionais da saúde e com a carreira nacional dos médicos.

Emocionado com a festa calorosa dos eleitores de Juiz de Fora, Aécio agradeceu o carinho da população e convocou os mineiros de todas as regiões a redobrar os esforços até o próximo domingo, 5 de outubro.

“É daqui dessa tribuna política de Minas, que venho convocar os mineiros, de Juiz de Fora, da Zona da Mata, do Norte, do Sul, do Leste e Oeste do nosso Estado. Podemos ter umpresidente da República de Minas Gerais, com os valores de Minas e com os compromissos de Minas. Pimenta da Veiga é a segurança de que Minas continuará altiva, como Anastasia é a garantia, de que no Senado Federal, Minas estará de pé, de cabeça erguida, tendo alguém a defender os seus interesses. Portanto, vamos arregaçar as mangas, dizer não à corrupção e iniciar um governo honesto e eficiente. A virada já chegou em Minas e no Brasil”, disse Aécio.

O ex-governador de Minas reafirmou que, durante toda a campanha eleitoral, vem defendendo o resgate de valores como a ética, a decência e o compromisso com quem mais precisa e que tem confiança de que Minas irá liderar o processo de transformação no Brasil.

“O que está em jogo é muito mais do que a vitória de A ou B ou a derrota desse ou daquele partido político. Estamos falando da oportunidade de Minas encerrar esse ciclo perverso de desgoverno, de descompromisso com a ética, de inflação alta, de crescimento baixo, para iniciarmos um outro ciclo virtuoso, em que o Brasil vai voltar a ser respeitado, os investimentos que foram embora vão voltar e a vida das pessoas vai começar a melhorar. Sou porta voz de um projeto. De um projeto que nasce em Minas, se inspira em Minas e, certamente, será transformador para Minas, assim como para o restante do país”, disse.

De Juiz de Fora, Aécio Neves seguiu para Governador Valadares para fazer carreata e se encontrar com lideranças políticas do Vale do Rio Doce.

Aécio Neves impulsionou economia da Zona da Mata

A importância econômica e política da Zona da Mata foi reconhecida, durante o governo de Aécio em Minas (2003-2010). Por concentrar parte significativa da população mineira, foram realizados investimentos expressivos em áreas como segurança, educaçãosaúde einfraestrutura, fundamentais para melhorar a qualidade de vida dos moradores da região.

A região reúne mais de 2 milhões de habitantes e dentre as atividades econômicas mais importantes estão a siderurgia, indústria automobilística, metalurgia, café e produtos alimentares. A expectativa é que esses avanços sejam intensificados com a eleição dePimenta da Veiga para o Governo do Estado e Aécio para a Presidência.

Veja o que fez o governo Aécio:

Mães de Minas

Mais de 19 mil mães de 142 municípios foram atendidas pelo Mães de Minas.

Prohosp

Pelo programa, 23 hospitais foram contemplados com recursos de R$ 106 milhões, entre eles, o Hospital e Maternidade Therezinha de Jesus, Hospital César Leite, Hospital Nossa Senhora das Dores, Hospital Santa Isabel, Hospital São Sebastião.

Farmácia de Minas

Unidades foram implantadas em 91 municípios da região

Saúde em Casa

Reforma e ampliação de 271 Unidades Básicas de Saúde em 141 municípios

Sistema Estadual de Transporte em Saúde

100 municípios são beneficiados pelo Sets para transportar com conforto e segurança pacientes que necessitam de atendimento especializado em outro município.

Programa de Ensino Profissionalizante (PEP)

Mais de 7 mil alunos da região em 11 municípios beneficiados com o PEP

Região Integrada de Segurança Pública (Risp)

Na região, estão em funcionamento duas Regiões Integradas de Segurança Pública (Risp), sediadas em Juiz de Fora e Barbacena, que realiza ações conjuntas das forças policiais para combater a criminalidade. O trabalho feito pelas polícias na Risp beneficia a população dos 147 municípios da região.

Atração de Investimentos 

Atração de R$ 10,6 bilhões em investimentos para a região.

Travessia

O programa está em 37 municípios da região.

Pimenta da Veiga sobe o tom contra candidato petista

Pimenta da Veiga subiu o tom das críticas no debate desta terça ao seu principal adversário, Fernando Pimentel, que evitou o embate direto com o tucano.

Debate na TV Globo

Fonte: Estado de Minas

Debate com troca de acusações

Flávia Ayer

O candidato ao governo de Minas Pimenta da Veiga (PSDB) subiu o tom das críticas no debate desta terça ao seu principal adversário, Fernando Pimentel (PT), que evitou o embate direto com o tucano. O debate realizado pela  TV Globo Minas teve momentos tensos, com ataques pessoais, e quem começou a artilharia pesada foi Pimenta, que chamou o adversário de mentiroso e tolo. Pimentel reagiu e lamentou os ataques do tucano, a quem classificou de falso e arrogante. Antes disso, Pimenta já tinha abandonado temas tradicionais, comoeducaçãosaúde e corrupção, e atacado o petista, lembrando sua “carreira fracassada” como político – ao perder vaga para o Senado para Aécio Neves e Itamar Franco – e como ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior por três anos no governo Dilma, quando, segundo ele, foi registrada a maior queda na produção industrial.

O confronto entre os candidatos tucano e petista ficou mais duro no segundo bloco, num debate sobre a dívida pública. “Você mente. Você mente”. Você é tolo”, disse Pimenta da VeigaPimentel também elevou o tom e lamentou o rumo do debate. Ele afirmou que a “falsa exaltação foi recomendada pelo marqueteiro” e classificou a postura de Pimenta de “espetáculo lamentável”. “Estamos aqui discutindo um novo olhar para Minas Gerais”. E ainda completou: “Ele poderia ter poupado a gente disso. Fez isso a campanha toda e vai terminar de forma lamentável”.

As críticas do tucano tiveram início quando ele lembrou aos eleitores que, ao disputar o Senado em 2010, Pimentel foi derrotado com a metade dos votos de Aécio Neves. O petista se defendeu lembrando que é tratado com carinho até hoje pelos moradores de BH, onde se reelegeu prefeito. Garantiu ainda, como auxiliar de Dilma, ter ajudado a defender a indústria e os empregos na equipe de ministros. “Ele foi ministro do desenvolvimento e o desenvolvimento do Brasil está em recessão. A indústria voltou aos níveis da década de 1950 e o comércio exterior está com o pior rombo em 30 anos”, rebateu Pimenta da Veiga.

ENERGIA Na troca de farpas, Pimentel afirmou que Minas vive um problema grave em relação à energia elétrica, que disse ser a mais cara do país, com ICMS de 30% sobre o consumo. “Estamos assistindo fábricas e empresas deixarem Minas. Isso tem que ser revisto. Sem causar prejuízo à Cemig, vamos reduzir o imposto, porque em estados como o Rio de Janeiro o ICMS é de 18%”. Pimenta redirecionou a crítica à administração petista, alegando que foi o governo federal que desorganizou a lógica do mercado de energia elétrica, o que teria causado prejuízo de R$ 70 bilhões para os estados. E acrescentou: “Em Minas, o consumidor de baixa renda se beneficia do programa Tarifa Reduzida, que impede a cobrança de imposto ao menor consumo.” Teve como resposta o desdém de Pimentel: “É muito reduzido o número de beneficiários, porque basta ter uma geladeira, um chuveiro elétrico e uma lâmpada acesa, para não merecer o benefício”.

Sobraram críticas até mesmo para os eleitores. Num bate-bola entre Fidélis Alcântara (PSOL) e Tarcísio Delgado (PSB) sobre corrupção, o socialista disse que só existem políticos ruins porque há eleitores ruins. Delgado questionou Fidélis sobre o assunto e citou escândalos envolvendo PT e PSDB. Segundo o candidato do PSOL, as manifestações de julho demonstraram que os eleitores estão cansados dessa situação. “Enquanto não desatrelar política do mercado, não vai mudar”, afirmou, ao defender o financiamento público de campanha. Aproveitando a deixa, Tarcísio cobrou então maior exigência dos eleitores. “Não seria a hora de o eleitor ser mais exigente e investigar a vida do candidato? Enquanto não tivermos eleitores melhores, não teremos políticos melhores”, comentou. (Com MCP)

Pimenta: Chegada de Gasoduto será o salto de desenvolvimento para Minas e o Triângulo

Pimenta da Veiga afirmou que em seu governo viabilizará ações para garantir novo salto de desenvolvimento regional no Triângulo.

Eleições 2014

Fonte: Pimenta 45

Pimenta aposta em novo salto de desenvolvimento para Minas e o Triângulo com chegada do gasoduto

Ao lado de Aécio e Anastasia, candidato a governador afirma que vai construir o contorno das principais cidades e asfaltar estradas ligando regiões

O candidato a governador Pimenta da Veiga iniciou a última semana de campanha eleitoralcom uma visita a Uberlândia, no Triângulo Mineiro, onde chegou acompanhado dos candidatos a presidente Aécio Neves e a senador Antonio Anastasia. Ao desembarcar, Pimenta falou da satisfação de retornar a uma das cidades mais prósperas do país, que se tornou modelo para o Brasil em razão da diversidade da sua estrutura produtiva e afirmou que em seu governo viabilizará ações para garantir novo salto de desenvolvimento regional.

“É notável o que Uberlândia alcançou ao longo de sua história. E vamos trazer uma nova matriz de desenvolvimento para Uberlândia, para o Triângulo inteiro, especialmente para Uberlândia, com o gasoduto. Nós vamos disponibilizar aqui um insumo industrial de grande importância e uma matriz energética de alto poder competitivo”, garantiu.

A implantação do gasoduto do Triângulo Mineiro foi negociada pelo Governo de Minas com a União na gestão de Antonio Anastasia. Partindo de Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, o gasoduto percorrerá 457 quilômetros até Uberaba e terá capacidade inicial para transportar 3 milhões de metros cúbicos/dia de gás natural, combustível suficiente para abastecer a fábrica de amônia da Petrobras, em implantação em Uberaba, além de outros empreendimentos industriais na região.

Pimenta da Veiga apontou outras prioridades para alavancar o desenvolvimento regional na área da infraestrutura viária e da mobilidade urbana. “Vamos terminar todas as estradas e rodovias que estão em obras e vamos ligar agora regiões. Portanto, além de ligar uma cidade a outra, vamos ligar regiões e vamos também fazer contornos das principais cidades do Triângulo para que o trânsito de passagem não prejudique a vida urbana”, ressaltou. “A estrada de Campo Florido está em obra e nós vamos conclui-la sem nenhuma dúvida. Essa é uma das estradas a qual me referi”, completou.

Na área da segurança públicaPimenta reiterou o compromisso de investir em tecnologia de ponta para melhorar o desempenho das polícias. “Vamos fazer uma grande revisão no sistema de segurança para adotar, sobretudo, tecnologia, de modo que o policiamento ostensivo fique mais eficiente. A tecnologia dá um enorme avanço na eficiência do sistema de segurança. Por exemplo, o Olho Vivo, que é uma ajuda extraordinária para a constatação de crimes, para a prevenção também. Tem o Fica Vivo, que ajuda a juventude a não delinquir. Portanto, é um conjunto de ações que vamos fazer”, afirmou.

Não à corrupção   

Os candidatos da Coligação Todos por Minas participaram de uma grande carreata pelas ruas centrais de Uberlândia, que saiu da Avenida Floriano Peixoto e seguiu até a Rua Professor Pedro Bernardo. Durante todo o trajeto, receberam cumprimentos e manifestações de apoio. Aécio Neves agradeceu a recepção calorosa e reiterou que forma, ao lado dePimenta e Anastasia, o melhor time para governar o país.

“De Uberlândia, por sua representatividade, pela sua importância econômica, cultural, eu faço uma convocação aos mineiros e à mineiras para que nós nos levantemos para, em primeiro lugar, dizermos não à corrupção no governo federal e não à corrupção que nós não queremos que venha para Minas Gerais. Para dizermos sim a um grupo político honrado, experiente, qualificado que tem a liderá-lo nesse momento em Minas Gerais Pimenta da Veiga como nosso candidato a governador”, afirmou.

Pimenta vai investir na infraestrutura e na logística para Minas dar um novo salto na economia

Em entrevista, Pimenta destaca a modernização da infraestrutura e a dinamização da economia de Minas, como algumas das metas de governo.

Coligação Todos por Minas

Pimenta da Veiga quer dinamizar a economia de Minas

Fonte: Hoje em Dia

Em entrevista ao Hoje em Dia, o candidato da coligação “Todos por Minas”, Pimenta da Veiga (PSDB), revela as principais metas de sua proposta de governo, caso seja eleito. No plano social, ele garante que as prioridades serão a saúde, educação e segurança. Além da infraestrutura, a dinamização econômica de Minas também está no radar do tucano.

Em seu plano de governo, qual ponto o senhor considera o mais importante e por quê?

As principais bases do nosso plano de governo são a área social, com prioridade para saúde, educação e segurança pública; a modernização da infraestrutura urbana; e a dinamização da economia de Minas.

Além desses pontos, quais são as áreas prioritárias e como pretende desenvolvê-las?

Na educação, vamos levar o ensino integral a todas as escolas do Estado; aumentar as vagas e diversificar os cursos profissionalizantes; valorizar os professores por meio de promoção automática dos que concluírem mestrado ou doutorado e ainda oferecer condições para que optem pelo trabalho integral em uma só escola.

Na segurança, vamos aumentar o policiamento ostensivo e ampliar o efetivo das polícias Militar e Civil. Queremos avançar com os programas de prevenção à criminalidade e às drogas, como o Fica Vivo, pois o tráfico é a principal causa da violência.

Na saúde, vamos ampliar, reformar e construir 17 hospitais regionais, com objetivo de fortalecer o processo de regionalização da saúde. A intenção é fazer com que as pessoas tenham atendimento médico o mais próximo possível de suas casas. Para isso, vamos também implementar incentivos aos médicos que se fixarem nas pequenas cidades.

Na infraestrutura, vamos atacar o problema da mobilidade urbana. Primeiro, é preciso um transporte público de qualidade. O mais eficiente é o sistema sobre trilhos. Na Região Metropolitana, por exemplo, a solução é o metrô. Temos o compromisso de construir o Rodoanel Norte e também 22 contornos rodoviários ao redor de cidades de médio e grande porte, eliminando o tráfego pesado de caminhões e tornando o trânsito mais seguro na Região Metropolitana. E também vamos construir o Rodoanel Sul, ligando Betim à BR-040.

Como pretende trabalhar pelo desenvolvimento econômico e social das regiões de Minas?

Para fazer com que Minas dê um novo salto na economia, vamos aproveitar as potencialidades regionais e diversificar os empreendimentos. Além disso, vamos investir na infraestrutura e na logística, assim como reduzir a carga tributária, dentro da competência do governo estadual. Com isso, aumentamos as oportunidades, gerando mais empregos e atraindo mais recursos para a melhoria da qualidade de vida dos mineiros. Vamos manter todos os programas sociais, como o Travessia.

Entre 2002 e 2012, Minas reduziu a desigualdade social em 10,9%, um resultado melhor que a média do Brasil e do Sudeste. Mais de 3 milhões de mineiros foram beneficiados pelo Travessia em 309 municípios. O programa promove a inclusão social e produtiva da população em situação de pobreza e vulnerabilidade social, por meio de uma série de ações articuladas entre várias secretarias de Estado e órgãos da administração. Temos que ressaltar que o mineiro tem enorme capacidade empreendedora, sempre soube aproveitar as oportunidades de trabalho nas diferentes áreas e precisa ser cada vez mais incentivado a produzir.

Quais são os principais desafios que o novo governador enfrentará?

São vários porque administrar um estado com as dimensões de Minas, com suas diversidades e potencialidades, exige dedicação e trabalho. Reduzir, por exemplo, as diferenças sociais entre as nossas regiões vai exigir muito esforço e determinação porque o modelo econômico adotado pelo governo federal nos últimos anos aponta para momentos difíceis. Mas, da nossa parte, não faltará o empenho para que as regiões mais pobres, como o Norte, o Jequitinhonha e o Mucuri recebam mais investimentos que as regiões mais ricas. Queremos diminuir a distância social entre as regiões de Minas, sem deixar, no entanto, de criar alternativas para que as mais desenvolvidas não fiquem paradas no tempo.

A crise internacional persiste e compromete o crescimento econômico do Brasil. O que fazer para que Minas se expanda e sustente seus projetos de governo?

Não é só a crise internacional que preocupa, mas a política econômica do governo federal do PT que trouxe de volta a inflação com profunda recessão. O retorno da inflação significa prejuízo para todos, é vizinha da corrupção, impede o crescimento, o desenvolvimento de cidades e pessoas. Apesar disso, nos últimos anos, Minas cresceu mais do que a média nacional. A indústria mineira aumentou a sua parcela na economia do Estado, segundo o IBGE. Em 2002, o setor respondia por 27,5% da economia mineira e passou para 32,8% em 2011. Esse índice representa mais do que o crescimento da média nacional. Em 2002, a indústria no Brasil tinha participação de 27,1% e cresceu 0,4 ponto percentual em 2011, quando chegou a 27,5% na economia nacional.

O senhor se considera preparado para enfrentar um eventual cenário negativo, com perdas de arrecadação?

Me sinto extremamente preparado. Além da atração de investimentos, como já citei, vamos intensificar a parceria com a iniciativa privada. Minas é o estado com maior número deParcerias Público Privadas (PPP). Nos últimos seis anos, o Governo de Minas conseguiu atrair R$ 2,3 bilhões para projetos de PPP, e outros R$ 5 bilhões em projetos em licitação. Minas se tornou referência nacional e internacional quando se trata desse modelo, com reconhecimento pela revista britânica World Finance e pelo Banco Mundial.

Se eleito, que Estado o senhor deseja entregar?

Uma Minas onde todos tenham orgulho de dizer onde vivem. Meu maior compromisso é com os cidadãos. As ações do governo terão como objetivo principal promover o bem-estar das pessoas que devem ser contempladas com políticas públicas que tornem nosso Estado uma terra de oportunidades para todos.

Se eleito, qual será o perfil do seu secretariado?

Competência e espírito público. É o que buscaremos entre os homens e mulheres de bem para compor o nosso governo. Queremos fazer um governo moderno, com eficiência em gestão. Como somos apoiados por uma ampla coligação – que inclui 14 partidos, além de lideranças de outras legendas que ao longo da campanha, foram se juntando a nós – não precisaremos nos render a conchavos ou alianças espúrias para garantir governabilidade. O eleitor pode esperar de nós o compromisso com a ética e o interesse público em todas as nossas ações, o que começará já na montagem da equipe de governo.

Por que os mineiros devem votar no senhor?

A nossa candidatura é a mais preparada para governar Minas. Tenho percorrido diversas cidades para escutar as pessoas sobre seus principais sonhos e demandas. Ninguém pode governar bem um país, um estado, um município se não for ouvindo os destinatários das nossas ações. O que me credencia é a minha história pessoal e política, de quase 40 anos dedicados ao interesse público, que me ensinou que o foco de um governo deve ser a melhoria da vida das pessoas.

Pimenta vai investir na infraestrutura e na logística para Minas dar um novo salto na economia

Em entrevista, Pimenta destaca a modernização da infraestrutura e a dinamização da economia de Minas, como algumas das metas de governo.

Coligação Todos por Minas

Pimenta da Veiga quer dinamizar a economia de Minas

Fonte: Hoje em Dia

Em entrevista ao Hoje em Dia, o candidato da coligação “Todos por Minas”, Pimenta da Veiga (PSDB), revela as principais metas de sua proposta de governo, caso seja eleito. No plano social, ele garante que as prioridades serão a saúde, educação e segurança. Além da infraestrutura, a dinamização econômica de Minas também está no radar do tucano.

Em seu plano de governo, qual ponto o senhor considera o mais importante e por quê?

As principais bases do nosso plano de governo são a área social, com prioridade para saúde, educação e segurança pública; a modernização da infraestrutura urbana; e a dinamização da economia de Minas.

Além desses pontos, quais são as áreas prioritárias e como pretende desenvolvê-las?

Na educação, vamos levar o ensino integral a todas as escolas do Estado; aumentar as vagas e diversificar os cursos profissionalizantes; valorizar os professores por meio de promoção automática dos que concluírem mestrado ou doutorado e ainda oferecer condições para que optem pelo trabalho integral em uma só escola.

Na segurança, vamos aumentar o policiamento ostensivo e ampliar o efetivo das polícias Militar e Civil. Queremos avançar com os programas de prevenção à criminalidade e às drogas, como o Fica Vivo, pois o tráfico é a principal causa da violência.

Na saúde, vamos ampliar, reformar e construir 17 hospitais regionais, com objetivo de fortalecer o processo de regionalização da saúde. A intenção é fazer com que as pessoas tenham atendimento médico o mais próximo possível de suas casas. Para isso, vamos também implementar incentivos aos médicos que se fixarem nas pequenas cidades.

Na infraestrutura, vamos atacar o problema da mobilidade urbana. Primeiro, é preciso um transporte público de qualidade. O mais eficiente é o sistema sobre trilhos. Na Região Metropolitana, por exemplo, a solução é o metrô. Temos o compromisso de construir o Rodoanel Norte e também 22 contornos rodoviários ao redor de cidades de médio e grande porte, eliminando o tráfego pesado de caminhões e tornando o trânsito mais seguro na Região Metropolitana. E também vamos construir o Rodoanel Sul, ligando Betim à BR-040.

Como pretende trabalhar pelo desenvolvimento econômico e social das regiões de Minas?

Para fazer com que Minas dê um novo salto na economia, vamos aproveitar as potencialidades regionais e diversificar os empreendimentos. Além disso, vamos investir na infraestrutura e na logística, assim como reduzir a carga tributária, dentro da competência do governo estadual. Com isso, aumentamos as oportunidades, gerando mais empregos e atraindo mais recursos para a melhoria da qualidade de vida dos mineiros. Vamos manter todos os programas sociais, como o Travessia.

Entre 2002 e 2012, Minas reduziu a desigualdade social em 10,9%, um resultado melhor que a média do Brasil e do Sudeste. Mais de 3 milhões de mineiros foram beneficiados pelo Travessia em 309 municípios. O programa promove a inclusão social e produtiva da população em situação de pobreza e vulnerabilidade social, por meio de uma série de ações articuladas entre várias secretarias de Estado e órgãos da administração. Temos que ressaltar que o mineiro tem enorme capacidade empreendedora, sempre soube aproveitar as oportunidades de trabalho nas diferentes áreas e precisa ser cada vez mais incentivado a produzir.

Quais são os principais desafios que o novo governador enfrentará?

São vários porque administrar um estado com as dimensões de Minas, com suas diversidades e potencialidades, exige dedicação e trabalho. Reduzir, por exemplo, as diferenças sociais entre as nossas regiões vai exigir muito esforço e determinação porque o modelo econômico adotado pelo governo federal nos últimos anos aponta para momentos difíceis. Mas, da nossa parte, não faltará o empenho para que as regiões mais pobres, como o Norte, o Jequitinhonha e o Mucuri recebam mais investimentos que as regiões mais ricas. Queremos diminuir a distância social entre as regiões de Minas, sem deixar, no entanto, de criar alternativas para que as mais desenvolvidas não fiquem paradas no tempo.

A crise internacional persiste e compromete o crescimento econômico do Brasil. O que fazer para que Minas se expanda e sustente seus projetos de governo?

Não é só a crise internacional que preocupa, mas a política econômica do governo federal do PT que trouxe de volta a inflação com profunda recessão. O retorno da inflação significa prejuízo para todos, é vizinha da corrupção, impede o crescimento, o desenvolvimento de cidades e pessoas. Apesar disso, nos últimos anos, Minas cresceu mais do que a média nacional. A indústria mineira aumentou a sua parcela na economia do Estado, segundo o IBGE. Em 2002, o setor respondia por 27,5% da economia mineira e passou para 32,8% em 2011. Esse índice representa mais do que o crescimento da média nacional. Em 2002, a indústria no Brasil tinha participação de 27,1% e cresceu 0,4 ponto percentual em 2011, quando chegou a 27,5% na economia nacional.

O senhor se considera preparado para enfrentar um eventual cenário negativo, com perdas de arrecadação?

Me sinto extremamente preparado. Além da atração de investimentos, como já citei, vamos intensificar a parceria com a iniciativa privada. Minas é o estado com maior número deParcerias Público Privadas (PPP). Nos últimos seis anos, o Governo de Minas conseguiu atrair R$ 2,3 bilhões para projetos de PPP, e outros R$ 5 bilhões em projetos em licitação. Minas se tornou referência nacional e internacional quando se trata desse modelo, com reconhecimento pela revista britânica World Finance e pelo Banco Mundial.

Se eleito, que Estado o senhor deseja entregar?

Uma Minas onde todos tenham orgulho de dizer onde vivem. Meu maior compromisso é com os cidadãos. As ações do governo terão como objetivo principal promover o bem-estar das pessoas que devem ser contempladas com políticas públicas que tornem nosso Estado uma terra de oportunidades para todos.

Se eleito, qual será o perfil do seu secretariado?

Competência e espírito público. É o que buscaremos entre os homens e mulheres de bem para compor o nosso governo. Queremos fazer um governo moderno, com eficiência em gestão. Como somos apoiados por uma ampla coligação – que inclui 14 partidos, além de lideranças de outras legendas que ao longo da campanha, foram se juntando a nós – não precisaremos nos render a conchavos ou alianças espúrias para garantir governabilidade. O eleitor pode esperar de nós o compromisso com a ética e o interesse público em todas as nossas ações, o que começará já na montagem da equipe de governo.

Por que os mineiros devem votar no senhor?

A nossa candidatura é a mais preparada para governar Minas. Tenho percorrido diversas cidades para escutar as pessoas sobre seus principais sonhos e demandas. Ninguém pode governar bem um país, um estado, um município se não for ouvindo os destinatários das nossas ações. O que me credencia é a minha história pessoal e política, de quase 40 anos dedicados ao interesse público, que me ensinou que o foco de um governo deve ser a melhoria da vida das pessoas.

Em Patrocínio, Pimenta vai ampliar agronegócio no Alto Paranaíba

“Queremos desenvolver de todos os modos, por exemplo, na parte de crédito, na parte tributária, e no apoio político”, afirmou Pimenta.

Eleições 2014

Fonte: Pimenta 45

Pimenta da Veiga quer ampliar agronegócio no Alto Parnaíba

Candidato a governador pelo PSDB visitou Patrocínio e Patos de Minas, além de João Pinheiro, localizada no Noroeste do Estado

O fortalecimento da atividade agropecuária e da agroindústria do Alto Paranaíba foi o principal compromisso assumido pelo candidato a governador Pimenta da Veiga durante visita, nesta quinta-feira (25/09), ao município de Patrocínio. “É uma vocação natural da região e que nós queremos desenvolver de todos os modos, por exemplo, na parte de crédito, na parte tributária, e no apoio político”, afirmou ao destacar que o foco de seu governo será o crescimento econômico para assegurar a geração de emprego e renda para os mineiros.

Pimenta da Veiga também destacou ações que desenvolverá em Patrocínio nas áreas de infraestrutura e saúde, caso seja eleito. “Vamos modernizar a estrada estadual de Patrocínio a Ibiá, fazendo, inclusive, os trevos necessários. E vamos também, na área da saúde, equipar o Pronto Socorro, colocá-lo em pleno funcionamento”, assegurou. O Governo de Minas já garantiu a liberação de R$ 14 milhões para a construção da nova sede do Pronto Socorro Municipal de Patrocínio.

Pimenta chegou à cidade acompanhado do candidato a senador Antonio Anastasia e movimentou o centro comercial ao participar de carreata, que saiu do aeroporto e seguiu até a Avenida Rio Branco. Depois, os candidatos seguiram a pé, cumprimentando e conversando com moradores, comerciantes e estudantes.

Nova escola

Antes de Patrocínio, Pimenta e Anastasia cumpriram agenda de campanha em João Pinheiro, no Noroeste do Estado, onde apresentaram propostas para que o ensino público em Minas avance ainda mais. Pimenta afirmou que destinará recursos para a construção de nova sede para a Escola Estadual Maria José de Paula, uma das mais tradicionais de João Pinheiro.

“Acabei de firmar aqui um compromisso com o prefeito – para substituirmos uma escola, a Escola Maria José de Paula, que precisa de uma ampla reforma e fica num lote pequeno. E o prefeito Carlos Gonçalves está informando que está doando para o Governo do Estado um lote bem maior, de 5 mil metros, onde haveremos de construir uma escola muito superior a atual. Quem sabe a primeira escola construída em Minas Gerais para adotar o ensino integral”, disse ele.

Uma das primeiras iniciativas de Pimenta da Veiga ao assumir o Governo de Minas será enviar projeto de lei à Assembleia Legislativa do Estado determinando que todas as novas escolas construídas em Minas sejam preparadas para o ensino integral. Segundo Pimenta, ampliar o horário escolar representa oportunidade não apenas de avançar na qualidade do ensino, mas também de afastar os jovens da criminalidade e dar tranquilidade aos pais.

Mais emprego

Já em Patos de Minas, onde esteve no fim da tarde, Pimenta da Veiga reiterou seu compromisso com o desenvolvimento social e econômico do Alto Paranaíba. “Estejam certos, no meu governo essa região vai ter um grande desenvolvimento econômico. Vamos aproveitar toda a potencialidade da região e transformá-la em produção, em emprego e renda. A grande questão para essa região é o desenvolvimento econômico para gerar renda privada e renda pública e, consequentemente, empregos”, disse.

Pimenta também voltou a comparar os governos do PSDB com as administrações petistas para reafirmar a confiança na vitória da sua candidatura nas eleições. “Tenho convicção de que pelas razões positivas do nosso lado e pelas razões negativas do lado do candidato do PT, que abandonou a éticas e está usando como arma apenas a mentira, nós vamos ter uma espetacular vitória em Minas. Todos sabem que em Minas nós ganhamos todas as últimas eleições e ganhamos sempre nos últimos dias e é isso que vai acontecer de novo”, concluiu.